Irritado? O que deves consumir para te acalmares instantaneamente

Quando alguém se atravessa à tua frente, sem fazer sinal, no trânsito, ou quando um colega de trabalho te passa à vmfrente num projecto, o teu primeiro pensamento deve ser, provavelmente, como lhes darás o troco.

Mas, procurar por vingança não é a melhor forma de resolveres o assunto. Mostramos-te 4 dicas de como te deves acalmar, quando ficas irritado com algo.

  1. Alimenta o teu cérebro

O teu cérebro é 2% do peso do teu corpo, mas usa cerca de 20% das tuas calorias diárias.

O córtex pré-frontal mediano, que organiza as emoções, é especialmente voraz, explica Brad Bushman, professor de psicologia no estado de Ohio.

Se a ideia de vingança começa a ser irresistível, bebe 120 ml de sumo de fruta, para enviar uma onda de glicose para o córtex pré-frontal mediano.


2. Adia, relaxa e distrai

Muitos homens tentam dissipar a irritação através de actos catárticos, como suar.

Poupa o teu  fôlego.

Bushman diz que ceder à agressividade vai alimentar o fogo vingativo dentro de ti. Ele sugere uma estratégia calmante de três frentes: Adiar (conta até 100), relaxar (respira fundo algumas vezes e medita) e distrair (lê ou joga no telemóvel).

3. Combate a chatice com prazer

É impossível experimentar emoções incompatíveis ao mesmo tempo, diz Bushman.

Passear o cão, ajudar um amigo com uma tarefa, beijar a tua miúda — estas são todas tarefas opostas à irritação.

Pesquisas têm mostrado, desde os anos 70, que a empatia, humor e excitação sexual leve podem reduzir a irritação.

4. Apenas olha-te

Pergunta a um estranho se a tua raiva é racional, este provavelmente irá dizer que não.

Mas fazer o papel de estranho é muito mais poderoso: Sê a mosca na parede e vê-te através dos olhos de um observador objectivo.

Isto ajuda a remover a emoção, mostra que a irritação e vontade de vingança não trarão satisfação.

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada "Camões". Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.
Este ano, o evento corporizou uma forma de disseminar oportunidades junto de jovens negros e introduziu, assim, uma verdadeira mudança de paradigma no setor têxtil português. Foram vários os talentos africanos que pisaram a passerele. A locomotiva que deu origem a este acontecimento foi a parceria realizada entre o Lulubell Group, a African Export-Import Bank e a ANJE (National Association of Young Entrepreneurs).
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.