Ford e MIT testam interacção entre carros eléctricos e peões

A Ford Motor Company e o MIT – Massachusetts Institute of Technology estão a colaborar num novo projecto de investigação que mede a forma como os peões se movem em meio urbano para melhorar alguns serviços públicos de transporte, como circuitos de conhecimento.

O projecto vai introduzir uma frota de autocarros eléctricos que operam nas duas estradas da cidade universitária e no campus da Universidade de Cambridge, Massachusetts. Os veículos utilizam sensores LiDAR e câmaras para medir os fluxos dos peões, o que, no limite, permitirá antecipar as necessidades de autocarros. Isto, por seu lado, orientará os investigadores e condutores desses veículos para as áreas de maior procura e melhor satisfazer os utentes.

Os sensores a bordo e as câmaras recolhem informação dos peões para estimar o fluxo de tráfego pedonal”, disse Ken Washington, vice presidente de Pesquisa e Engenharia Avançada da Ford. “Isto ajuda-nos a desenvolver algoritmos eficientes que associam dados relevantes. Melhora os serviços de mobilidade a pedido, auxilia os esforços de detecção de peões e o mapeamento de circulação para os veículos autónomos”.

A investigação do MIT está a ser dirigida pelo Departamento de Aeronáutica e Astronautas do Laboratório de Controlo Aerospacial (ACL). O ACL investiga temas relacionados com sistemas autónomos e projetos de controlo de aeronaves, naves espaciais e veículos terrestres. A pesquisa teórica e experimental é desenvolvida em áreas como estimativa e navegação, planeamento e estudo sob incerteza e autonomia dos veículos.

Através do sistema de mobilidade a pedido que está a ser desenvolvido para o campus do MIT, o ACL pode investigar e planear novos algoritmos em meio complexo, mas controlado, ao mesmo tempo que fornece uma plataforma de testes aos investigadores e presta um serviço à comunidade do MIT”, disse o Professor Jonathan How, director do ACL.

Os investigadores da Ford e do MIT pensam disponibilizar o serviço a um grupo de estudantes e á faculdade em Setembro. Este grupo utilizará uma aplicação móvel para comunicar com um dos três veículos eléctricos urbanos sobre a sua localização e pedem para serem deixados noutro ponto do campus.

Os veículos eléctricos são suficientemente pequenos para poderem circular pelos passeios do campus, ao mesmo tempo que deixam espaço para os peões. Cada um desses veículos está equipado com compartimentos estanques que protegem das intempéries – o que é particularmente útil nos climas rigorosos.

Após chamarem o veículo através da aplicação móvel, os estudantes do MIT e da faculdade não terão de esperar muito pela sua boleia.

Nos últimos cinco meses, a Ford e o MIT utilizaram sensores LiDAR e câmaras nos veículos para se documentarem sobre os fluxos de peões entre diversos pontos do campus. O LiDAR é a forma mais eficiente de detectar e localizar objectos ao redor dos veículos. A tecnologia é ainda mais precisa que o GPS, emitindo pequenas pulsações de raios laser para identificar com precisão a localização dos veículos num mapa e detectar o movimento de peões e objectos próximos.

 

 

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada "Camões". Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.
Este ano, o evento corporizou uma forma de disseminar oportunidades junto de jovens negros e introduziu, assim, uma verdadeira mudança de paradigma no setor têxtil português. Foram vários os talentos africanos que pisaram a passerele. A locomotiva que deu origem a este acontecimento foi a parceria realizada entre o Lulubell Group, a African Export-Import Bank e a ANJE (National Association of Young Entrepreneurs).
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.