#FragMENTES | @Janeth Tavares

FragMENTES, um casamento entre a arte e a comunicação

Há uns meses, FragMENTES começou por ser uma ideia que definia apenas a vontade de apresentar fisicamente o que desde há um ano e poucos meses tem marcado presença na BANTUMEN: o talento de artistas sem limites ou nacionalidades. Hoje, essa ideia é um projecto concretizado.

Portugal, Angola, Cabo Verde, Cuba, França e Itália pingaram influências na mescla artística que aconteceu nos últimos dois dias na Casa de Angola, em Lisboa, e que termina este sábado. Indi Nunez, Piera Moreau, Cachupa Psicadélica e Danae Estrela, cada um com a sua técnica artística, oferecem-nos uma identidade visual e musical que nos empurra para uma realidade fragmentada onde sonhar acordado é possível.

A ideia transformou-se num evento que foi abraçado por amigos, conhecidos, parceiros, leitores, amantes das artes, amantes de música, comunicação social e curiosos. Casa cheia de pessoas, mas principalmente de orgulho na equipa deste “cantinho online” que tem trabalhado incansavelmente na descoberta de novos talentos e experiências nesta aventura que é a comunicação para um público jovem, dinâmico, curioso, atento e com sabor a África.

Este foi apenas o início de um projecto comprovadamente de sucesso e que irá dar tempo de antena a outros nomes que merecem igual foco. Fiquem connosco. A BANTUMEN vai continuar por aqui, a alimentar a vossa capacidade de realizar sonhos.

A equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada "Camões". Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.
Este ano, o evento corporizou uma forma de disseminar oportunidades junto de jovens negros e introduziu, assim, uma verdadeira mudança de paradigma no setor têxtil português. Foram vários os talentos africanos que pisaram a passerele. A locomotiva que deu origem a este acontecimento foi a parceria realizada entre o Lulubell Group, a African Export-Import Bank e a ANJE (National Association of Young Entrepreneurs).
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.