Hernâni da Silva, a música e a Internet

Música e Internet são duas palavras que para os músicos são sinónimas, e para Hernâni da Silva, um dos rapper mais conhecidos da lusofonia, não é diferente.

De mudanças para a capital portuguesa, o rapper têm o seu novo endereço postal na Linha de Sintra. Apesar da região ser conhecida além fronteiras pela qualidade de hip hop que por lá se faz, a razão da mudança de Hernâni nada tem a ver com música. O moçambicano está na fazer o seu mestrado em Engenharia Informática e de Telecomunicações, em Lisboa.

De momento, os livros e as ciências da computação são a sua única ocupação. Mas isso não quero dizer que não esteja a par do que está a acontecer no panorama músical em Portugal e no resto dos PALOP.

“A música sempre foi a minha paixão”

Questionámos a Mudanisse se este regresso aos estudo é alguma salvaguarda em relação ao futuro. A resposta surge sem hesitação: “A música sempre foi a minha paixão”. Apesar de ter sempre curtido de computadores, telemóveis e Internet, Hernâni acredita que vai sempre conseguir conciliar as duas arte. “Quem sabe posso ser um músico que trabalha como um informático que faz música, arranja-se sempre uma forma de se fazer o que se gosta”.

Hernâni da Silva | Foto: BANTUMEN

Em plena baixa pombalina, podemos perceber que o moçambicano já começou a ganhar alguns gostos típicos dos lisboetas como o pastel de nata e o café. Anos depois ter concluído a licenciatura, o regresso aos estudo pricipalmente num novo sistema de ensino requer alguma concentração extra.

É dos músicos em Moçambique com mais particações ou colaborações em singles e, depois de estar mais estavél em Lisboa, pretende trabalhar com os inúmeros amigos que tem Portugal como Plútonio, Força Suprema e Sam The Kid alguns nomes que de certeza não vão permitir que o rapper de Moz se foque apenas nos estudos.

Em Julho saiu o seu último trabalho em colaboração com Slim Nigga. “Pontas de Lança” é o título do álbum de 16 faixas que  vendeu só no primeiro dia mais de mil cópias, o que para a realidade de Maputo é quase um recorde de vendas. O trabalho também está disponível nas plantaformas digitais.

A sua curiosidade pela computação deu-lhe prática e conhecimento para poder fazer as sua própria gestão de conteúdos e de divulgação da sua música, pricipalmente através do seu site, onde podemos encontrar todos os seus trabalhos.

Eddie Pipocas
Eddie Pipocas
Founder and Editor-in-Chief at http://bantumen.com | My biggest ambition is to perpetuate stories on the web

Deixa-nos a tua opinião

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Artigos Relacionados
Na indústria da música, as sextas-feiras costumam ser fartas, cheias de novos lançamentos. E esta não podia ser diferente. Para que todos possam entrar bem no fim-de-semana, Julinho KSD acaba de lançar o seu primeiro álbum, Sabi na Sabura.
Foi o que fez Kouka Ntadi, pintor franco-congolês. Numa parceria com o Boa Lab, Kouka ofereceu à capital portuguesa um gigante guerreiro Bantu, peça central da sua inspiração artística atual.
"Mussungology to the world" será um elo entre a música e as artes plásticas.