CeeLo Green e o mistério do telemóvel que explodiu na sua cara

CeeLo Green foi notícia este fim-de-semana depois de ter sido lançado um vídeo na Internet, onde se via o telemóvel do rapper explodir enquanto este fazia uma chamada.

Se chegaste a ler mil e uma informações sobre o assunto, em que já se confirmava que era CeeLo foi mais uma vítima de um Note 7, é mentira. As imagens fazem parte de um novo videoclipe do artista.

“Quero que todos saibam que estou vivo e bem. Sinceramente, estou realmente chateado que alguém tenha se sentido afectado emocionalmente com o que viu. Aquelas imagens integram um clipe de um novo projecto, chamado ‘Gnarly Davidson’. Mais do que tudo, para aqueles que me amam e se importam comigo, só quero dizer que estou bem. Só quero agradecer a todos pelo amor, apoio e preocupação”, explicou Green nas redes sociais.

Nas imagens, que já sabemos que foram encenadas, CeeLo aparece nume estúdio de gravações, enquanto fala ao telemóvel e, de repente, o dispositivo explode no seu rosto. O rapper cai no chão e fica imóvel. Com os últimos incidentes com os Note 7 da Samsung, nas redes sociais, muitos avançaram que se tratava de um caso idêntico, outros avançaram que talvez se tratasse apenas de um novo trabalho.

???????????????? Isso é preocupante!!! Agora sim acredito a 100% nas notícias sobre explosões de telefones…????????

Um vídeo publicado por FREDY COSTA (@fredycosta1) a

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada "Camões". Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.
Este ano, o evento corporizou uma forma de disseminar oportunidades junto de jovens negros e introduziu, assim, uma verdadeira mudança de paradigma no setor têxtil português. Foram vários os talentos africanos que pisaram a passerele. A locomotiva que deu origem a este acontecimento foi a parceria realizada entre o Lulubell Group, a African Export-Import Bank e a ANJE (National Association of Young Entrepreneurs).
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.