Portrait of a Curator (In Memory of Beryl Wright), 2009

A marginalização dos afro-americanos na pintura de Kerry James Marshall

Kerry James Marshall é um artista norte-americano de 61 anos, que personifica na sua arte a descriminação e marginalizarão de que são alvo as comunidades afro-americanas em vários pontos dos Estados Unidos da América. Os seus desenhos, pinturas, vídeos e instalações têm sempre como personagem principal homens ou mulheres negras.

As suas obras são inspiradas na sua experiência de vida. “Não podes nascer em Birmingham, Alabama, em 1955 e crescer em Los Angeles, perto da sede dos Panteras Negras e não sentires que tens uma responsabilidade social”, explica Marshall. A linha cronológica do seu trabalho reflete-se desde a Renascença até ao século XX, com o objectivo de “tornar visível o invisível”.

Actualmente, o artista tem uma exposição patente até 29 de Janeiro de 2017, no Metropoleum Museum of Art, intitulada Mastry. Com 35 anos de carreira, Kerry James Marshall vai expor 80 peças que sintetizam uma grande tradição de representações estereotipadas dos negros na sociedade.

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada "Camões". Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.
Este ano, o evento corporizou uma forma de disseminar oportunidades junto de jovens negros e introduziu, assim, uma verdadeira mudança de paradigma no setor têxtil português. Foram vários os talentos africanos que pisaram a passerele. A locomotiva que deu origem a este acontecimento foi a parceria realizada entre o Lulubell Group, a African Export-Import Bank e a ANJE (National Association of Young Entrepreneurs).
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.