África e Ásia beneficiados com mundial de 48 selecções

A partir de 2026 vamos assistir a campeonatos do mundo com uma maior representação africana e asiática. O alargamento do torneio de 32 para 48 selecções foi uma “boa decisão” da FIFA, de acordo com o presidente da Federação Francesa de Futebol, Noël Le Graët.

A decisão tomada na terça-feira pelo órgão que substituiu o Comité Executivo da FIFA, por unanimidade, vai permitir que mais selecções africanas e asiáticas possam participar na prova, que tem na Europa o maior contingente.

“África está a organizar-se e a Ásia em expansão. Aumentar para 48 significa dar a oportunidade a mais países de poderem disputar esta competição. É uma ideia generosa e não apenas com fundamentos economicistas”, sustentou Le Graët.

Em 2026, o torneio vai contar com 16 grupos, de três equipas cada, com as duas primeiras a classificarem-se para a fase seguinte, entrando então num sistema de eliminatórias a partir dos 16 avos de final.

Com este novo formato, o Mundial passará dos atuais 64 jogos para 80, mas continuará a disputar-se durante 32 dias, como sucede actualmente.

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada "Camões". Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.
Este ano, o evento corporizou uma forma de disseminar oportunidades junto de jovens negros e introduziu, assim, uma verdadeira mudança de paradigma no setor têxtil português. Foram vários os talentos africanos que pisaram a passerele. A locomotiva que deu origem a este acontecimento foi a parceria realizada entre o Lulubell Group, a African Export-Import Bank e a ANJE (National Association of Young Entrepreneurs).
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.