Morcegos no Brasil começam a alimentar-se de sangue humano

Investigadores brasileiros, da Universidade Federal de Pernambuco, descobriram uma espécie de morcego que passou a alimentar de sangue humano naquela região.

O estudo foi feito no Parque Nacional do Catimbau, a 300 km de Recife. O estudo analisou 70 amostras de fezes da espécie Diphylla ecaudata (Morcego Vampiro de pernas peludas), e conseguiram extrair o ADN de 15 delas, sendo que em três apresentam vestígios de sangue humano misturado com o de aves.

Antes disso, o que se sabia era que o animal consumia, exclusivamente, sangue de pássaros.

“Nós ficamos muito surpresos. Essa espécie não tinha uma adaptação fisiológica para se alimentar com sangue de mamíferos”, explicou o pesquisador Enrico Bernard.

Segundo os pesquisadores, a alteração no cardápio dos morcegos, está relacionada à falta de alimentos na região, que está sendo alterada pela presença humana e seus animais domésticos.

Marito Varela
Marito Varela
De Benguela para o mundo. Dos blogs, da música, das tecnologias e das ciências.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada "Camões". Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.
Este ano, o evento corporizou uma forma de disseminar oportunidades junto de jovens negros e introduziu, assim, uma verdadeira mudança de paradigma no setor têxtil português. Foram vários os talentos africanos que pisaram a passerele. A locomotiva que deu origem a este acontecimento foi a parceria realizada entre o Lulubell Group, a African Export-Import Bank e a ANJE (National Association of Young Entrepreneurs).
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.