@ Metro.Uk

Soulja Boy condenado a liberdade condicional e serviço comunitário

Soulja Boy está de novo na ribalta e uma vez mais pelas piores razões. Depois da troca de palavras acesa com Chris Brown e Mike Tyson que deu muito que falar, desta vez o assunto em questão é a posse ilegal de armas, referente ao mês de dezembro de 2016.

O rapper de Chicago foi acusado de dois crimes por posse ilegal de armas, que ocorreram no final do ano de 2016. Segundo a publicação norte-americana TMZ, o artista confessou as alegadas acusações chegando assim a um acordo com a acusação. Inicialmente, as queixas foram retiradas, mas um dos procuradores decidiu seguir em frente com uma das acusações.

O acordo entre Soulja Boy e a acusação inclui cinco anos em liberdade condicional e 240 dias de serviço comunitário. Apesar de todas as restrições, o artista está autorizado a viajar para fora do país se tiver que trabalhar. Durante o tempo estipulado no acordo, o autor do hit “Crank That” não pode ter nem uma arma de brincar.

Entretanto, Soulja Boy lançou o novo single “In My Polo”. Se ainda não viste, vê na publicação em baixo feita pelo artista no seu Twitter.

https://twitter.com/souljaboy/status/849121020749516800

 

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada "Camões". Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.
Este ano, o evento corporizou uma forma de disseminar oportunidades junto de jovens negros e introduziu, assim, uma verdadeira mudança de paradigma no setor têxtil português. Foram vários os talentos africanos que pisaram a passerele. A locomotiva que deu origem a este acontecimento foi a parceria realizada entre o Lulubell Group, a African Export-Import Bank e a ANJE (National Association of Young Entrepreneurs).
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.