MGDRV: A fusão do hip hop e da música electrónica que deu origem ao álbum “DRAIVE”

A BANTUMEN esteve à conversa com os MGDRV, que lançaram há pouco mais de uma semana  o seu álbum de estreia, DRAIVE, que já está disponível em todas as plataformas digitais. Depois do EP de apresentação, o grupo procura com este projecto firmar o seu nome no panorama musical.

Além de singles tornados hits como “Abana a Cabeça”, “Salta Só” e “Tu Não Tens”, este álbum vem revelar a identidade do projecto. “Variedade é riqueza” é um mote que Pité, YoCliché e Apache levam muito a sério e isso está presente na música que fazem. Amor, festa, política e viagens espirituais são alguns dos temas abordados pelo grupo que se recusa a criar de forma linear um qualquer rótulo.

Os três membros já se conheciam há algum tempo antes de formarem os Megadraive. O Mc Miguel Pité e o produtor Apache que antes formavam a dupla Macacos do Chinês, cada vez que davam um show acabavam sempre por contratar como hypeman o Mc YoCliché.

Há uma semana na rua, o projecto parece ter começado com o pé direito, depois da recepção calorosa que tiveram por parte do público na Semana Académica de Lisboa. O grupo abriu o seguimento de artistas do palco principal naquele que foi o primeiro concerto deste novo álbum DRAIVE.

Faz play na entrevista e descobre mais sobre “DRAIVE” e os MGDRV.

Tiago Firmino
Tiago Firmino
Nascido e criado na Margem Sul do Rio Tejo, tenho formação profissional em Jornalismo, na ETIC, em Lisboa. Com 24 anos, tenho mil e um objectivos, mas o dia só tem 24 horas.

Deixa-nos a tua opinião

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Artigos Relacionados
Foi o que fez Kouka Ntadi, pintor franco-congolês. Numa parceria com o Boa Lab, Kouka ofereceu à capital portuguesa um gigante guerreiro Bantu, peça central da sua inspiração artística atual.
"Mussungology to the world" será um elo entre a música e as artes plásticas.
O renomado fotógrafo moçambicano Mário Macilau vai estar pela primeira vez em Lisboa, par apresentar a exposição individual Sombras do Tempo. A inauguração da exposição acontece no dia 23 de setembro, às 18 horas, no número 14A da Rua João Penha.