Mandla Maseko
Mandla Maseko

Morreu Mandla Maseko, aquele que seria o primeiro astronauta africano negro a viajar no espaço

“Quero poder flutuar e ver por uma janela esta grande bola azul e branca a que chamamos terra”, disse Mandla Maseko à agência Associated Press, em 2014.

Conhecido como “Spaceboy” (rapaz do espaço) e “Afronaut” (afronauta), o sul-africano tinha o sonho de ser o primeiro astronauta africano a viajar no espaço, mas um acidente de moto no fim-de-semana passado em Pretória pôs fim a essa aspiração.

Depois de vencer uma competição internacional lançada pela NASA, para obter um lugar na Academia Axe Apollo Space, na Flórida, em 2015, Mandla tornou-se fonte de inspiração para muitos sul-africanos.

Mandla Maseko foi uma das 23 pessoas escolhidas, entre um milhão de candidatos, para fazer parte de uma expedição ao espaço, depois de passar uma série de testes de aptidão mental, treino de combate e de ausência de gravidade.

Maseko estava na Força Aérea e era um orador que queria “motivar e inspirar” os jovens em África e provar que poderiam conseguir tudo independentemente das suas origens.

Para além disso, o seu desejo era vir a embarcar num voo em órbita da terra, no qual pudesse experimentar a ausência de gravidade. Ainda que o voo não tivesse acontecido, Maseko não tinha ainda desistido do sonho. 

Segundo a Eye Witness News Mandla trabalhava como deejay em part-time e mantinha-se como oficial candidato na força aérea sul-africana. Tinha confessado ainda à BBC que esperava “um dia dizer uma frase que seja usada no futuro – como Neil Armstrong.”

Wilds Gomes
Wilds Gomes
Sou um tipo fora do vulgar, tal e qual o meu nome. Vivo num caos organizado entre o Ethos, Pathos e Logos - coisas que aprendi no curso de Comunicação e Jornalismo. Do Calulu de São Tomé a Cachupa de Cabo-Verde, tenho as raízes lusófonas bem vincadas. Sou tudo e um pouco, e de tudo escrevo, afinal tudo é possível quando se escreve.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Mas como interagir com alguém que fala um idioma que desconhecemos? Danny Manu, um britânico de origem ganesa, criou a solução. Os Clik by Mymanu são uns fones de ouvido, sem fios, que podem traduzir vários idiomas automaticamente.
Este ano, a artista celebra 25 anos de carreira e mostra a fibra de que é feita, eclética, surpreendente e a transbordar musicalidade. Para assinalar a data, temos "Bla Bla Bla", uma música que marca um ponto de viragem na sua carreira, seja a nível sonoro como visual.
Em conversa com a BANTUMEN, Rubem Gomes, um dos fundadores da Associação Vegetariana Angolana, explicou que a decisão de criar a associação partiu do "sentimento de compaixão para com todos os seres", acreditando que os seres humanos ainda podem fazer do mundo um lugar melhor, enquanto existir respeito sobre os outros elementos da natureza.