AMAURA | Foto: Janeth Tavares
AMAURA | Foto: Janeth Tavares

AMAURA: “Sinto que estou numa fase onde tenho coisas para dizer”

Se a vida tivesse outro nome, o que seria? Provavelmente não teria denominação nenhuma ou chamar-se-ia apenas AMAURA. É o que a sua voz nos transmite. Um contraste de várias emoções, sentimentos e o nascer de uma vontade de algo que sempre esteve dentro de dela, e de nós.

O encontro foi no Polo das Gaivotas, em Lisboa, onde o ambiente é natural, chill, orgânico e amigo da natureza. O local ideal para entrevistarmos Maura Magarinhos, que não gosta de uma só coisa, gosta de muitas coisas. É a mistura perfeita entre o Soul Music, Jazz e o Rap, contrastes que se encontram e desencontram para culminar numa melodia que fica no ouvido.

AMAURA | Foto: BANTUMEN
AMAURA | Foto: BANTUMEN/ Janeth Tavares

Foi em Setembro que AMAURA lançou EmContraste, o seu primeiro trabalho a solo, depois de várias colaborações em outros projetos. “Estou feliz por ter lançado esse trabalho agora, e por ter o input do Daniel, foi algo genérico e natural. Só lancei agora este trabalho, porque sinto que estou numa fase onde tenho coisas para dizer”, explicou-nos.

O álbum foi um processo criativo e orgânico. As parcerias que fez noutros registros e trabalhos fez com que recolhesse as informações necessárias para criar algo de que gostasse e com que se identificasse por completo. E no decorrer do mesmo, conheceu Daniel mais conhecido por TNT – o rapper de Almada que a deu a conhecer a Mano a Mano.

AMAURA | Foto: Janeth Tavares
AMAURA | Foto: Janeth Tavares

Maura é apaixonada pelo Jazz, Soul e Bossa Nova desde que se conhece como gente. EmContraste nasce dessa premissa, do amor pela música, de implementar algo novo nos ouvidos das pessoas. Outro tipo de som, que tenha um história para contar, sem deixar escapar nada. É a vida da cantora exposta em 11 músicas.

“O titulo [do álbum] remete à minha juventude, desde muito nova em que não me virava nem para a esquerda nem para a direita. Sou um mix de coisas, ninguém é só uma coisa, ou ninguém quer ser só uma coisa, ou até há quem queira ser só um coisa, mas não é o meu caso”, afirmou.

AMAURA | Foto: Janeth Tavares
AMAURA | Foto: Janeth Tavares

E é isso que as pessoas podem esperar ao ouvir EmContraste, que não é só uma coisa. É tudo o que Maura gosta, é um busca constante para encontrar algo. É o contraste dos vários contrastes que a cantora procurou ter no álbum, tudo o que sentia e tudo o que acha que as pessoas possam vir a gostar.

Até então o feedback tem sido positivo. Os familiares gostam do que faz e apoiam, mas em particular o seu tio que é fã incondicional e a sua mãe, que critica as suas letras, mas de uma forma simpática e “fofinha”. O que deixa AMAURA satisfeita por saber que quem lhe deu a vida ouve o que ela canta e presta atenção na sua forma de fazer arte, entre as palavras.

AMAURA | Foto: BANTUMEN
AMAURA | Foto: BANTUMEN / Janeth Tavares

Abaixo podes ver a entrevista vídeo que fizemos a uma voz que promete dar que falar no panorama musical lusófono.

Wilds Gomes
Wilds Gomes
Sou um tipo fora do vulgar, tal e qual o meu nome. Vivo num caos organizado entre o Ethos, Pathos e Logos - coisas que aprendi no curso de Comunicação e Jornalismo. Do Calulu de São Tomé a Cachupa de Cabo-Verde, tenho as raízes lusófonas bem vincadas. Sou tudo e um pouco, e de tudo escrevo, afinal tudo é possível quando se escreve.

Uma resposta

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.
Mas como interagir com alguém que fala um idioma que desconhecemos? Danny Manu, um britânico de origem ganesa, criou a solução. Os Clik by Mymanu são uns fones de ouvido, sem fios, que podem traduzir vários idiomas automaticamente.
Este ano, a artista celebra 25 anos de carreira e mostra a fibra de que é feita, eclética, surpreendente e a transbordar musicalidade. Para assinalar a data, temos "Bla Bla Bla", uma música que marca um ponto de viragem na sua carreira, seja a nível sonoro como visual.