Cozinha Aberta 3
Imagem Divulgação

Já podes ouvir “Love Molly” de Monsta

Três meses depois de “Da Bwala”, Monsta volta a apresentar nova mixtape “Love Molly”. O projeto retrata os momentos bons e maus de qualquer relação.

O rapper da linha de Sintra tem vindo a mostrar consistência, palavra chave que carrega depois de quase uma década com a back da Dope Muzik. Agora, a caminhar com os próprios pés, não esperamos diferente de quem começou nas ruas com o movimento Jerk e evoluiu para vários palcos entre a Europa e Africa.

“Molly Love” é a cura do rapper, depois da dor que passou no início de 2019, tema que foi abordado aqui na BANTUMEN, durante o episódio de podcast disponível em vídeo no canal de YouTube da BANTUMEN e em todas as plataformas de podcats conhecidas.

O tema da sua mixtape surge em analogia à dependência. A personagem já sofreu de tal forma que não pode também perder a sua Molly Love. “Com o decorrer da peça, apercebemo-nos de que Molly é, nada mais nada menos, que um reflexo dos seus atos. E é quando ele se liberta dessa relação tóxica, e dá continuidade à sua caminhada, que se depara com pessoas que lhe demonstram que as suas cicatrizes representam um trajeto de superação e uma história para ser contada”.

Este projeto de dez faixas tem as participações de Deezy Xizow, Rhayra, Tiller, Jocasta e Wilton Plenitude.

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Mas como interagir com alguém que fala um idioma que desconhecemos? Danny Manu, um britânico de origem ganesa, criou a solução. Os Clik by Mymanu são uns fones de ouvido, sem fios, que podem traduzir vários idiomas automaticamente.
Este ano, a artista celebra 25 anos de carreira e mostra a fibra de que é feita, eclética, surpreendente e a transbordar musicalidade. Para assinalar a data, temos "Bla Bla Bla", uma música que marca um ponto de viragem na sua carreira, seja a nível sonoro como visual.
Em conversa com a BANTUMEN, Rubem Gomes, um dos fundadores da Associação Vegetariana Angolana, explicou que a decisão de criar a associação partiu do "sentimento de compaixão para com todos os seres", acreditando que os seres humanos ainda podem fazer do mundo um lugar melhor, enquanto existir respeito sobre os outros elementos da natureza.