Kátio de Oliveira

35Awards: Kátio de Oliveira, fotógrafo angolano, quer estar entre os melhores do mundo

Kátio de Oliveira, fotógrafo angolano, vai concorrer ao 35Awards, um concurso internacional de fotografia anual, depois de no ano passado ter ficado entre os 100 melhores finalistas. A 6ª edição do evento vai decorrer via virtual.

Destinado a profissionais e amadores, o evento promove o trabalho dos melhores fotógrafos a nível mundial. Com a participação, Kátio procura classificar-se o melhor possível a cada edição promovendo assim o seu trabalho a um público internacional.

Kátio terá a missão de enfrentar novamente um grupo de fotógrafos constituído por 117 mil participantes, de todas as partes do mundo, que se vão tentar classificar na lista dos 70 melhores profissionais.

“De acordo com os resultados do concurso, os vencedores de cada categoria serão convidados a ingressar no conselho editorial do ano civil seguinte ao da competição que venceram. Isso garante a transparência do procedimento de formação do conselho editorial 35photo.pro”, como diz o comunicado no site da organização.

Kátio começou a dar os seus primeiros passos no mundo das fotos de forma inesperada. “Tudo começou no casamento de uma prima, onde foi-me dada a missão de fotografar os membros da família”, disse-nos.

Kátio teve a ousadia de fotografar a noiva também. Foi a edição desse trabalho que o levou a apaixonar-se pela fotografia e edição.

Fora Angola, Kátio confessou que tem o Gana, Nigéria e Quénia como as suas referências a nível mundial, pois estes “conseguiram criar um mercado fotográfico organizado e têm produzido material com excelente qualidade”.

O concurso 35Awards é realizado pelos organizadores e fundadores do 35photo.pro, que é dirigido a um número indefinido de pessoas, com o intuito de popularizar a fotografia como forma de arte no mundo.

As etapas da competição são sequenciadas, primeiramente pelo registo de autores que irão fazer parte do concurso, com o envio dos materiais a organização, votações, e a impressão das fotos num catálogo constituído por 512 páginas.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.

Edna Domingos
Edna Domingos
Leitura é o meu forte, amo a escrita. Descobri que a essência da vida está nas descobertas não feitas

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Com sete anos de carreira, Boy Lundy carrega consigo o sonho de influenciar novas vozes, trabalhar na música de forma profissional, mostrado que é possível criar sustento e viver da arte e enriquecer a arte moçambicana, assim como o movimento hip-hop.
Da Soul acabou de levar o seu último álbum, Liberdade de Expressão, à loja FNAC de Almada, com uma apresentação ao vivo e sessão de venda e autógrafos. O projeto foi lançado em agosto, estando disponível em lojas físicas FNAC e através das plataformas de streaming de áudio.
Já está a acontecer a Feira Internacional de Negócios da Moda, no Palácio de Ferro, na baixa de Luanda. A cerimónia de abertura começou com uma mesa redonda, com a participação de nomes já bem conhecidos da indústria fashion angolana, como Rose Palhares e a escritora e consultora de imagem Marleyh Selo. A moderação foi feita pela apresentadora Dinamene Cruz.