Prémio Atores de Cinema da GDA será este ano em triplicado

A Fundação GDA irá atribuir este ano o Prémio Atores de Cinema português a nove pessoas, o triplo de galardoados das edições anteriores, como “reforço do reconhecimento”, num ano cultural marcado pela pandemia da covid-19.

O Prémio Atores de Cinema, criado em 2008 e atribuído entre pares, reconhece anualmente “o mérito e a excelência do trabalho de interpretação dos atores e atrizes” no cinema, em três categorias diferentes. Este ano, em cada uma das categorias haverá não um, mas três vencedores.

“Apesar do momento difícil que vivemos, não quisemos passar ao lado do trabalho prestado pelos atores portugueses: Pelo contrário, entendemos que este momento exige um reforço do seu reconhecimento e da visibilidade do seu mérito artístico”, afirmou o diretor-geral da Fundação GDA, Mário Carneiro, em comunicado.

Este ano, pela primeira vez, não haverá cerimónia pública de anúncio e entrega dos prémios, por causa da covid-19, sendo os vencedores conhecidos através do ‘site’ da fundação GDA.

Serão atribuídos os prémios de “Melhor Atriz/Ator Principal” (3.000 euros), “Melhor Atriz/Ator Secundário/a” (2.000 euros) e “Novo Talento” (1.000 euros).

A Fundação GDA recorda que estes prémios representam “um reconhecimento entre pares”: “São prémios de interpretação atribuídos a artistas por artistas”.

Este ano, o júri integra os atores Natália Luíza, Pompeu José e Rita Cabaço e serão avaliados trabalhos de interpretação “em produções cinematográficas portuguesas de longa-metragem de ficção, estreadas comercialmente em sala entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2019”.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

BANTUMEN com agências
BANTUMEN com agências
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Com sete anos de carreira, Boy Lundy carrega consigo o sonho de influenciar novas vozes, trabalhar na música de forma profissional, mostrado que é possível criar sustento e viver da arte e enriquecer a arte moçambicana, assim como o movimento hip-hop.
Da Soul acabou de levar o seu último álbum, Liberdade de Expressão, à loja FNAC de Almada, com uma apresentação ao vivo e sessão de venda e autógrafos. O projeto foi lançado em agosto, estando disponível em lojas físicas FNAC e através das plataformas de streaming de áudio.
Já está a acontecer a Feira Internacional de Negócios da Moda, no Palácio de Ferro, na baixa de Luanda. A cerimónia de abertura começou com uma mesa redonda, com a participação de nomes já bem conhecidos da indústria fashion angolana, como Rose Palhares e a escritora e consultora de imagem Marleyh Selo. A moderação foi feita pela apresentadora Dinamene Cruz.