Zé nobody
Zé nobody

“Hoje podes estar em baixo, amanhã em cima”, Zé Nobody

Jerson Carvalho ou simplesmente Zé Nobody, é o nome do artista que te iremos apresentar e que, futuramente, te vai surpreender.

Zé é um rapper e diz ser amante de música desde que se conhece como gente. Para fugir da realidade turbulenta que vivia em casa, o rapper começou a gostar do mundo do hiphop na rua com os seus amigos, sendo que o gosto pela arte aumentou depois de lhe ter sido oferecido um leitor MP3, que passou a ser a sua companhia.

“Eu não largava por nada, era música que me fazia ficar bem quando acontecia cenas em casa”, explicou o Zé.

O rapper entrou no mundo da música por influência do seu pai, que era um amante inconfundível de rap, e este traço ficou enraizado dentro de si.

Se escolhêssemos uma palavra para caracterizar Zé Nobody talvez fosse “tranquilidade”. Apesar do seu gosto pela música, o jovem rapper disse que no tempo da escola não era de “grupinhos”, pois sabia perfeitamente o seu lugar, facto que acabou por determinar a escolha do seu nome artístico. Segundo o rapper, o nome nasceu pelo facto de se sentir várias vezes sozinho e por várias pessoas duvidarem das suas capacidades, dizendo que “não seria ninguém”.

“Amigos mais velhos começaram a chamar-me isso no gozo… tive também alguém que dizia que não sou nada e nem ninguém, então daí o nome”, relembrou o artista.

A sua primeira música foi gravada de forma rudimentar, através de um microfone interno sem o auxilio de outro acessório de estúdio. Depois do feedback negativo vindo de seus amigos, Zé decidiu melhorar com objetivo de surpreender todos os que fossem ouvir as suas músicas.

O artista disse que pretende mostrar as voltas que o mundo dá, esclarecendo que “hoje podes estar em baixo, amanhã em cima”.

“Abordo sobre tudo um pouco, gosto de dar na mente não nas vistas, já falei sobre amor também, gosto de relatar aquilo que sinto e passo e vejo e sei que as pessoas também podem se identificar com que passo nas músicas e isso tem acontecido”, disse Zé Nobody.

A sua última música tem o título “Medo” e conta com a participação de Paulelson no coro. Mais voltada para o drill, a letra fala dos rappers que têm medo das habilidades que ambos carregam ao mesmo tempo que mostra um pouco mais do cantor. “Pretendo apenas mostrar quem realmente sou e que posso ser melhor ou melhorar”, reiterou.

Quanto ao processo criativo, o rapper contou que a ideia é uma “tentativa de trazer uma versão mais rija e forte [de mim], e para que os rappers fiquem preocupados”, acrescentando que a ideia do coro surgiu de Paulelson.

Desde que começou a sua carreira, Zé já colaborou com vários artistas do panorama musical angolano. Á parte de Paulelson, o cantor trabalhou também com Bedjone, Team Pambala e Uami Ndongadas.

Para breve, Nobody avança-nos que está a preparar uma música com Éclat Edson, membro da TRX Music.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

Mauro Aghuas
Mauro Aghuas
Pai de 2| Linux entusiasta| Fã de Cazuza | amante da cultura Hip-Hop e apaixonado por festivais de Rock em Angola

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.
Mas como interagir com alguém que fala um idioma que desconhecemos? Danny Manu, um britânico de origem ganesa, criou a solução. Os Clik by Mymanu são uns fones de ouvido, sem fios, que podem traduzir vários idiomas automaticamente.
Este ano, a artista celebra 25 anos de carreira e mostra a fibra de que é feita, eclética, surpreendente e a transbordar musicalidade. Para assinalar a data, temos "Bla Bla Bla", uma música que marca um ponto de viragem na sua carreira, seja a nível sonoro como visual.