Sammy O Salmista

“Aquilo que faço é muito mais do que rap”, Sammy, O Salmista

Sammy, O Salmista é um artista cuja arte, até há muito pouco tempo, também eu rotulava, erradamente, de rap gospel. Sammy fez questão de rectificar-me, sublinhando que o estilo não existe e que a diferença está apenas no conteúdo que cada rapper passa, tendo ele escolhido a palavra do Evangelho.

Sammy é Samuel, nasceu em Portugal há quase 30 anos. Os pais emigraram para Portugal nos anos ’80, motivados por questões académicas e pela saúde do irmão mais velho, Jerry Escriba, um dos membros dos DH, pioneiros do hip hop na Linha de Sintra, e principal impulsionador da cultura rap no Sammy. Dessa altura, um dos episódios que recorda com um certo arrependimento é quando acompanhou o irmão numa entrevista ao programa de rádio de José Marinho, na Antena 3, e este convidou-o para fazer um freestyle. Samuel recusou por vergonha.

Cresceu em Queluz- Belas e é um artista da vertente cristã, inclinado para o rap, e lançou a sua primeira mixtape em 2012, com o título Santo e Pecador.

Na sua discografia, além da mixtape, tem um álbum, Hiphopcalipse, lançado em 2015 e 4 EPs. O último saiu em 2018 com o título Mais Intimidade. O artista foi a “mascote” dos DH, do qual o irmão fazia parte, dando hoje continuidade a esse trabalho.

Na musicalidade de Sammy encontramos versatilidade, que ganhou graças à irmã Suzana – que deu-lhe educação musical na infância, adquirida no Conservatório Nacional de Lisboa e nos vários eventos de teor Gospel em que participou.

Sammy tem voz de rapper, aquele timbre que prende o ouvinte. Contudo, quem está habituado a ouvir “Candy Shop” de 50 Cent ou “Herói” do Elenco de Luxo pode não ter um ouvido tão apurado para ouvir o Evangelho no formato de Rimas e Poesia.

O Salmista já procurou a BANTUMEN anteriormente para mostrar o seu trabalho, mas sentiu o peso de quanto o mercado é fechado, seja pelas labels ou por quem faz a comunicação deste trabalhos. Felizmente, desta vez, foi diferente. Enviou o link da faixa “Terra prometida” e, depois de ouvir os primeiros 50 segundos, estava eu a responder ao Sammy e a agradecer por ele ter insistido.

Entrevistámo-lo via Zoom, por cerca de 40 minutos, mas seleccionamos o mais importante da conversa. Abaixo, faz play e, em oito minutos, vais poder descobrir a arte de Sammy, que prometemos continuar a acompanhar.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com

Eddie Pipocas
Eddie Pipocas
Founder and Editor-in-Chief at http://bantumen.com | My biggest ambition is to perpetuate stories on the web

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Mas como interagir com alguém que fala um idioma que desconhecemos? Danny Manu, um britânico de origem ganesa, criou a solução. Os Clik by Mymanu são uns fones de ouvido, sem fios, que podem traduzir vários idiomas automaticamente.
Este ano, a artista celebra 25 anos de carreira e mostra a fibra de que é feita, eclética, surpreendente e a transbordar musicalidade. Para assinalar a data, temos "Bla Bla Bla", uma música que marca um ponto de viragem na sua carreira, seja a nível sonoro como visual.
Em conversa com a BANTUMEN, Rubem Gomes, um dos fundadores da Associação Vegetariana Angolana, explicou que a decisão de criar a associação partiu do "sentimento de compaixão para com todos os seres", acreditando que os seres humanos ainda podem fazer do mundo um lugar melhor, enquanto existir respeito sobre os outros elementos da natureza.