Surface, Internet | ©
Surface, Internet | ©LmOrcw AGn8

Cabo Verde quer roaming gratuito dentro da CPLP

A presidência cabo-verdiana dos reguladores de telecomunicações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa propôs a implementação de roaming gratuito dentro da lusofonia, durante a assembleia-geral da Associação de Reguladores de Comunicações e Telecomunicações (ARCTEL-CPLP).

A proposta é levada à 13.ª assembleia-geral daquela organização, de dois dias, que está a decorrer por videoconferência a partir da Praia, reunindo representantes de todos os reguladores da CPLP – organização lusófona atualmente presidida por Cabo Verde -, através da Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME).

“Trata-se de um processo complexo, porque cada um dos países tem o seu quadro normativo legal e há um conjunto de princípios que devem ser respeitados. Será difícil conseguirmos avançar imediatamente com todos os países, mas acreditamos que será possível avançar de forma gradual e paulatinamente com um grupo de países”, anunciou, na abertura da assembleia-geral, o presidente da ARME, Isaías Barreto.

A proposta é levada à 13.ª assembleia-geral daquela organização, de dois dias, que está a decorrer por videoconferência a partir da Praia, reunindo representantes de todos os reguladores da CPLP – organização lusófona atualmente presidida por Cabo Verde -, através da Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME).

“Trata-se de um processo complexo, porque cada um dos países tem o seu quadro normativo legal e há um conjunto de princípios que devem ser respeitados. Será difícil conseguirmos avançar imediatamente com todos os países, mas acreditamos que será possível avançar de forma gradual e paulatinamente com um grupo de países”, anunciou, na abertura da assembleia-geral, o presidente da ARME, Isaías Barreto.PUBLICIDADE

Acrescentou que o objetivo da proposta cabo-verdiana é avançar com um grupo restrito de países, para posteriormente ser alargado dentro da CPLP.

Segundo Isaías Barreto, a presidência cabo-verdiana vai mesmo apresentar durante esta reunião, que termina sexta-feira, uma proposta de um memorando de entendimento entre as várias reguladoras, “para que em conjunto possam trabalhar para a realização deste projeto”, prevendo chegar ao roaming gratuito de chamadas de voz e de dados entre os Estados-membros.

A ARCTEL-CPLP é uma associação de direito privado, integrado por Cabo Verde, Portugal, Brasil, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste, Angola, Moçambique e Guiné Equatorial, que pretende facilitar e potenciar a partilha de informação e conhecimento entre os vários reguladores, para contribuir para o desenvolvimento do mercado e do sector das comunicações dentro da CPLP.

BANTUMEN com agências
BANTUMEN com agências
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Com sete anos de carreira, Boy Lundy carrega consigo o sonho de influenciar novas vozes, trabalhar na música de forma profissional, mostrado que é possível criar sustento e viver da arte e enriquecer a arte moçambicana, assim como o movimento hip-hop.
Da Soul acabou de levar o seu último álbum, Liberdade de Expressão, à loja FNAC de Almada, com uma apresentação ao vivo e sessão de venda e autógrafos. O projeto foi lançado em agosto, estando disponível em lojas físicas FNAC e através das plataformas de streaming de áudio.
Já está a acontecer a Feira Internacional de Negócios da Moda, no Palácio de Ferro, na baixa de Luanda. A cerimónia de abertura começou com uma mesa redonda, com a participação de nomes já bem conhecidos da indústria fashion angolana, como Rose Palhares e a escritora e consultora de imagem Marleyh Selo. A moderação foi feita pela apresentadora Dinamene Cruz.