Luanda: Yuri da Cunha relembra Teta Lando em concerto memorável

Yuri da Cunha realizou mais um concerto do ciclo “Yuri da Cunha canta Teta Lando”. Nesta terceira apresentação, que aconteceu no Royal Plaza Hotel, em Luanda, o artista homenageou Teta Lando e os músicos Massano Jr. e o lendário guitarrista Marito, ex-integrante do grupo Kiezos.

Se fosse para definir o concerto de Yuri de Cunha numa palavra seria “nostalgia”, pois o cantor proporcionou bons momentos de saudade, cantando músicas do célebre Teta Lando, falecido em 2008.

O concerto começou às 15 horas com uma intro que ligava à primeira música “Lufua Lua Nkadi”, antes de saudar o público presente. Seguiu-se “Ntoyo”, “Angolano Segue em Frente” e “Wembo Wembo”.

O concerto foi dividido em quatro cenas, “A Primeira Vez”, “O Exílio”, “Regresso” e “Sonho de um Camponês”. Algumas começaram com recitações poéticas na voz de Kaxtuto, noutras Yuri falava para o público sobre inúmeros assuntos, como a importância da passagem de testemunho artístico e o legado de Teta, culminando com algumas exibições de registos antigos de Teta Lando.

Concerto “Yuri da Cunha canta Teta Lando” | Fotografia: BANTUMEN

Para partilhar o palco, Yuri da Cunha convidou artistas como Maya Cool e Prodígio e no final do concerto, pediu-se para se juntarem ao palco figuras como Jojó Gouveia, Rei Weba e Jomo Fortunato, que ajudaram no seu desenvolvimento como artista.

Aos microfones da BANTUMEN, o atual ministro da Cultura angolana, Jomo Fortunato, manifestou a sua satisfação pelo resultado do evento e parabenizou Yuri da Cunha, aproveitando para dar a sua opinião sobre a importância deste tipos de eventos.

“É um incentivo para os jovens cantar em línguas nacionais”, disse o ministro. “É um espetáculo exportável Temos de começar a pensar em exportar esses produtos culturais… Nós temos mais de meio século de história da música popular angolana e temos grandes figuras importantes que devem ser revisitados pela geração mais nova”, acrescentou.

Depois do concerto, Yuri da Cunha explicou o que representa Teta Lando para si. “Teta Lando representa o ‘tapar do buraco’ que existe em nós. Teta fala de amor, de angolanidade, do equilíbrio e sobre a nossa sanidade mental”, disse o artista.

Concerto “Yuri da Cunha canta Teta Lando” | Fotografia: BANTUMEN

Yuri disse também à BANTUMEN que pretende levar esta homenagem além de fronteiras, passando por alguns países e cidades onde o artista pisou os pés e viveu as suas experiências pessoais e artísticas.

“Eu gostaria de levar [o concerto] em primeiro lugar para Paris, onde Teta viveu a sua vida artística, o seu exílio, onde chorou bastante”, disse Yuri.

Acrescentou que gostaria de fazer um trajeto parecido com o de Teta Lando, passando também por Mbanza Congo, República Democrática do Congo.

“Isso depende de como as empresas angolanas acreditam na cultura. Todos nós seremos grandes se estivermos juntos. Angola é só uma”, finalizou.

Não é a primeira vez que Yuri relembra em concerto músicas das lendas da música angolana, como André Mingas, e disse que pretende realizar uma edição especial dedicada a Bonga.

O concerto “Yuri da Cunha canta Teta Lando” é uma realização da Xicote Produções e Kwety, e tem a direção artística de Paulo Flores.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

Bruno Dinis
Bruno Dinis
Carrego a cultura kimbundu nas minhas veias. Angolanidade está presente a cada palavra proferida por mim. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, por tanto, não seja recluso da ignorância.

Deixa-nos a tua opinião

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Artigos Relacionados
O projeto é uma viagem de 19 temas a um estado de espírito focado na concretização dos seus desejos mais magnânimos. Mind Frames representa a luta que envolveu o processo de produção deste projeto, que inclui as vitórias, derrotas, a aprendizagem e o mind set.
núncio foi feito num comunicado da MIPAD, durante a cerimónia de nomeação das personalidades, que aconteceu no início deste mês, logo após a abertura da 76ª Assembleia Geral de organismo internacional, que decorre desde Setembro.
Apesar da pandemia do coronavírus ter parado o mundo por completo e inclusive, as apresentações públicas em eventos culturais, os músicos optaram por focalizar forças para as plataformas de streaming, que passou a fazer parte da lista de táticas de rentabilização no mundo.