Diana Del Mar
Foto: José Correia

Diana Del Mar prepara-se para lançar “Posso Deitar-me Contigo?”

No início deste mês, apresentámos-te Diana Del Mar, uma cantora cuja voz doce e naturalmente melodiosa vai muito em breve açambarcar os tops nacionais de música. A artista está-se a preparar para lançar uma nova canção, “Posso Deitar-me Contigo?”, e falou-nos sobre esse processo criativo.

“Normalmente, as melhores músicas que escrevo são sempre escritas em lugares e fases super estranhas da minha vida. A “Posso Deitar-me Contigo?” foi definitivamente escrita num lugar estranho – na minha cama, no escuro, às 3h da manhã – e numa fase estranha – há duas semanas que estava com insónias terríveis e incómodas. Lembro-me de ir para a cama à meia noite, era agosto de 2019 e tinha acabado de gravar as vozes para a “Mamã e Papá”, dado isto, estava super ansiosa com tudo, queria que o single saísse bem e, como nunca tinha gravado nada profissional, não sabia muito bem o que esperar. Esta já era a segunda semana consecutiva que não conseguia adormecer de imediato só de pensar no futuro e essa realização deixou-me inspirada”, disse-nos.

A inspiração para escrever a letra surgiu do facto de Diana dormir desde pequena com a sua irmã mais nova. “Desde que a nossa mãe nos habituou a dormirmos juntas enquanto pequenas, nunca quisemos outra coisa. Com o meu telemóvel quase colado ao nariz, pensei no cenário em que a Lara também tinha insónias e estava a pedir-me ajuda para adormecer, isso levou-me logo à ideia de um refrão: ‘Posso deitar-me contigo, posso deitar-me contigo? Talvez não possa ajudar, também sonho curar, insónias, vozes a mentir’. A melodia veio-me imediatamente à cabeça e gravei logo no telemóvel. No dia seguinte, fiquei tão obcecada com o refrão que decidi pegar no meu teclado, inventar uns acordes e escrever os versos. Foi muito instintivo e rápido pois só tive de transportar o que sentia ao ter insónias e escrever”. A artista acrescenta que “na altura também andava muito triste, com complicações na escola, e tudo o que queria fazer era música” mas primeiro teria de fazer determinadas escolhas. “Por esse motivo, os versos são muito melancólicos.”

Foi Desco, o produtor responsável por esta música e pela maioria das do primeiro álbum de Diana Del Mar, a lançar brevemente, quem aprimorou a “Posso Deitar-me Contigo?”. “Ele ficou logo super entusiasmado, imaginou rapidamente um monte de coros e vozes fixes por trás. Entretanto, deixámos esta música um pouco de lado, pois dedicámos-nos a outras mas eu nunca deixei de pensar nela. Todas as ideias que tinha no banho, como o facto de imaginar a música cheia de graves malucos, todo o bridge cheio de vozes estranhas a dizerem ‘insónias’ anotava isso tudo para depois quando pegássemos na música, o processo ser mais rápido e não só. Sou da opinião que todas as ideias criativas que temos, por mais estúpidas que sejam, têm de ser escritas pois nunca sabemos o quão geniais podem-se tornar quando postas em prática.”

O processo de produção da música começou por volta de novembro de 2020, quando Desco criou os acordes na guitarra e com isso construiu uma base no Logic (software de produção). “Lembro-me que a primeira versão que ele me mostrou era muito orgânica mas apaixonei-me imediatamente.”

Sobre a captação das vozes, Diana tem métodos peculiares, para garantir a autenticidade da sua expressão artística. “Gravo todas as vozes sozinha no meu quarto com um monte de lençóis e almofadas para isolar o microfone. Não é o cenário ideal mas adoro gravar no meu quarto, pois faz-me sentir mais eu própria e posso fazer todas as palhaçadas que quiser pois ninguém está a ouvir.” É um processo mais demorado do que gravar num estúdio, sobretudo quando a harmonia das vozes não é a esperada e é necessário corrigir, mas Diana move-se pela perseverança. “Repito as vezes que forem necessárias”, para que o resultado seja o pretendido.

“Depois de algumas sessões no Zoom chegámos à música que hoje é uma das obras mais diferentes e mais bonitas que já ouvi. Simplesmente porque reflete imenso o nosso esforço como criativos, perseverança e conexão”. A cantora explica que as suas ideias casam muito bem com a visão do produtor e criativo Desco, o que acaba por tornar o processo de criação divertido. “Sei que tudo o que imaginarmos para uma música conseguimos alcançar e este single é a prova disso”, afiança.

A responsabilidade da mistura ficou a cargo de Luís Esperança, ex-colega de turma de Diana, bem como de Desco.

Quanto à arte gráfica, estão a ser concebidos por António Santiago, membro da crew Negatif. “Normalmente, assim que acabo de escrever uma música imagino logo um moodboard com imagens que me inspirem na criação dos futuros visuais e da produção das músicas. Neste caso, tinha conceitos e imagens guardados como a noite, lençóis, janelas abertas e a cor branca. Mostrei todas as inspirações ao António, contei-lhe toda a história por detrás do processo de escrita e aí foi só esperar que ele juntasse as suas capacidades e talento para ver o resultado final. Estou muito feliz com a Art Work. Capta exatamente o feeling da música”, rematou Diana.

“Posso Deitar-me Contigo?” é um single que vai integrar o primeiro álbum de estúdio de Diana Del Mar, ainda sem título ou data de lançamento previstos. A sonoridade do projeto diverge daquilo que consideramos o pop europeu, o que pode ser a carta na manga na divulgação do mesmo.

Enquanto esperamos o lançamento da nova música, podes ouvir “Mamã e Papá”, disponível nas diversas plataformas de streaming e no YouTube.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Artigos Relacionados