“Anna”, o álbum mais esperado do ano já está à venda

Depois da fase de promoção com os singles “Destino” e “Puro”, o álbum homónimo de Anna Joyce já está finalmente disponível. O projeto conta com uma única participação vocal, a de Ary. O álbum está à venda de forma física em Luanda e espera-se que esteja nas plataformas de streaming ainda nesta quarta-feira, 18. No próximo fim-de-semana a cantora irá “quebrar o jejum” de cinco anos ao vender na Praça da Independência, em Luanda.

Atualmente, se falarmos de músicas de amor e de “sofrência” em Angola, o nome que talvez tem maior destaque é o de Anna Joyce. A cantora angolana nos últimos anos tem vindo a criar uma série de canções de histórias de amor e desamor que caiem no goto do seu público.

E por isso, Anna foi até agora um dos álbuns mais esperados dos últimos tempos dentro da música angolana, sobretudo depois da cantora anunciar o título nas redes sociais.

Para viajar neste novo Anna são necessários 48 minutos, que começa com uma música homónima e termina com “Eu Esperei”.

Depois de quase cinco anos sem lançar um álbum de originais, em Anna a cantora oferece aos ouvintes Kizombas, Ghetto Zouks e RnB, onde fala sobre relações afetivas, mas de uma forma mais madura, numa comparação ao que lançou até agora.

Com o selo da LS Republicano, o projeto de Anna Joyce contou com a mão de nomes fortes da nova e antiga geração de músicos e produtores angolanos, como Davince, Wonder Boyz, Tino, Smash, Impossible, Dream Nation, Miqueias Ramiro, Mauro Almeida e Dino Ferraz; com baixo de Mestre Freddy, Texas, Tino; guitarra de Max, o moçambicano que é responsável pelos “belos acordes” das músicas “Puro” e “Destino”, ambos temas que promoveram o álbum.

A nível de composição, seis músicas foram compostas pela contora e outras seis têm a colaboração de composição de artistas como Rui Orlando, Cage One, Heavy C, Gabeladas e Dino Ferraz.

Nas 12 músicas, além da sua voz, surge a voz da Diva Ary, que participou na música “Salé”, que contém alguns trechos da música com o mesmo título do cantor congolês, Lokua Kanza.

“Eu Esperei”, que nas últimas semanas esteve nas bocas do povo, depois da partilha de um sketch no Instagram, tem a letra e música de Dino Ferraz e Anna Joyce. A kizomba tem a produção do cantor e de Mauro Almeida, contando com a voz de Carla Moreno no refrão.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

Bruno Dinis
Bruno Dinis
Carrego a cultura kimbundu nas minhas veias. Angolanidade está presente a cada palavra proferida por mim. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, por tanto, não seja recluso da ignorância.

Deixa-nos a tua opinião

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Artigos Relacionados
A longa-metragem foi distinguida em fevereiro com os galardões Melhor Filme, Melhor Ator revelação, Melhor Montagem e César do Público, durante 45.ª edição dos prémios César. Na última edição dos Óscares, esteve também nomeado para Melhor Filme Internacional.
Na indústria da música, as sextas-feiras costumam ser fartas, cheias de novos lançamentos. E esta não podia ser diferente. Para que todos possam entrar bem no fim-de-semana, Julinho KSD acaba de lançar o seu primeiro álbum, Sabi na Sabura.
Foi o que fez Kouka Ntadi, pintor franco-congolês. Numa parceria com o Boa Lab, Kouka ofereceu à capital portuguesa um gigante guerreiro Bantu, peça central da sua inspiração artística atual.