Tekilla
Fotografia: BANTUMEN

“Olhos de Vidro” de Tekilla é a essência acima do beat

Tekilla vai apresentar o seu novo álbum, Olhos de Vidro, ao vivo esta quarta-feira 22 de setembro, no Time Out Market, em Lisboa.

O rapper esteve à conversa com a BANTUMEN, onde revelou que os seus principais objectivos com o lançamento deste projeto foram compridos.

Olhos de Vidro chegou às plataformas de streaming no dia 2 de julho, numa espécie de retrospectiva à caer com a premissa de ser um álbum que faz uma retrospetiva à carreira de Tekilla, que começou em 1995.

“Esta é a minha busca pela essência do hip hop que cresci a ouvir. Não é um disco nostálgico, é um disco de hoje, de 2021, mas com raízes profundas, de mais de 20 anos disto, com quarenta de vida, de muitos encontros, de desencontros, de vitórias e algumas derrotas.”

Dois mês depois de chegar as plataformas as novidades são as versões em vinil e o merchandising do álbum estão prestes a chegar .

“Olhos de Vidro” conta com a produção de Fred Ferreira (Orelha Negra, Buraka Som Sistema, Banda do Mar) e as participações especiais de Amaura, Ana Semedo, Dino D’Santiago, Papillon, Sara Soulfull e August Bernard, e está disponível em todas as plataformas digitais. Depois de cerca de oito anos sem editar, Tekilla, apresenta agora uma retrospectiva musical que começa com a sua primeira mixtape em 1995 até aos dias de hoje. A busca por novos caminhos foi um processo que exigiu tempo e que conseguiu juntar velhos conhecidos mas também sangue novo. Este é um disco que já não é só Hip Hop, bebe das influências lusófonas de Telmo Galeano (Tekilla), com raízes em Angola e que explora a Afro Pop, a Soul, a RnB, e ainda cruza gerações diferentes do Hip Hop, pondo lado a lado a nova e a velha escola.

Com edição pela editora britânica BBE, que conta no seu catálogo com artistas como J Dilla, Will I Am, Madlib, “Olhos de Vidro” reflete as suas quatro décadas de vida e do universo que desde jovem tem vindo a criar, o mundo que idealizou, que nos anos 90 estava ainda por existir, na música, no Hip Hop, na Moda, no Skate e em tantas outras áreas da criatividade e das artes… Tekilla é hoje um artista que ganhou e viu o mundo, com o equilíbrio para falar dos temas que ainda hoje necessitam de voz e cara, e criou um álbum sem filtros que se vai poder ouvir ao vivo pela primeira vez em Lisboa dia 22 de Setembro, a não perder!

Para está quarta-feira 22 de Setembro, às 21h30, no Estúdio Time Out em Lisboa Tekilla vai traz consigo três convidados muito especiais: Dino D’Santiago, Amaura e Ana Semedo!

Na entrevista vista que pode ver abaixo Tekilla lamentou pelos rappers da sua geração que não conseguiram manter-se relevante nem atuais.

O rapper português de origem angolana lembrou que conseguiu passar um lado que tem sito esquecido cada vez mais no rap que é a mensagem que é o principal base do da cultura hip-hop.

Killa também fez menção que bebe da energia que vem das ruas e que cresceu em três meios de educação diferente a biblica que é a religiosa a de berço a dada pelos seus pais e as das ruas onde tem os amigos, o skate, a moda e as experiência que moldaram quem é ele hoje.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com

Equipa BANTUMEN
Equipa BANTUMEN
A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.

Deixa-nos a tua opinião

Artigos Relacionados
Foi há mais de um ano que a longa-metragem sobre o assassinato de Alcindo Monteiro, ocorrido há 26 anos, começou a ser rodada. A película estreia-se finalmente no próximo domingo, 24, às 19h, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O filme faz parte da programação do DocLisboa.
Mas como interagir com alguém que fala um idioma que desconhecemos? Danny Manu, um britânico de origem ganesa, criou a solução. Os Clik by Mymanu são uns fones de ouvido, sem fios, que podem traduzir vários idiomas automaticamente.
Este ano, a artista celebra 25 anos de carreira e mostra a fibra de que é feita, eclética, surpreendente e a transbordar musicalidade. Para assinalar a data, temos "Bla Bla Bla", uma música que marca um ponto de viragem na sua carreira, seja a nível sonoro como visual.