PUB
Akwetto

“A Cor da Saudade” de Akwetto já está disponível

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A Cor da Saudade de Akwetto já ecoa em todas as plataformas de streaming, desde o dia 4 de fevereiro. Apesar de estar no mundo da música há mais de duas décadas, este é o primeiro EP do cantor e compositor angolano, pelo que o seu lançamento tem um sabor especial, sobretudo porque marca um regresso pautado por 15 anos distante da música.

“A cor da saudade” é um convite a conhecermos a alma musical de Akwetto, com seis faixas escritas e produzidas pelo próprio artista.

Gravado no estúdio Atlântico Blue, em Oeiras, (Portugal), Akwetto envolveu-se neste projeto em todas as suas fases de produção, que passam pela composição, produção, arranjos e programação de todas as faixas, excepto de “Quem Me Dera”, que tem a mão de Alton Ventura.

Carlos Augusto foi o produtor executivo do projeto; Marco Silva fez a captação; Ahmed Sabbir a mistura e Lake Chalk assina a masterização.

Nas guitarras estiveram Ronald Brian Clay e Tito Monako, este último que também é responsável pelo baixo; no piano passaram
Neemias Teixeira, Alton Ventura e Carlos Augusto.

Neste primeiro projeto musical, Akwetto viaja pelas emoções do Afrojazz, com uma forte influência sonora dos clássicos da música angolana, mesclada com sonoridades modernas e pulsações rítmicas fortes, resultando numa sonoridade acústica muito própria, sem renunciar a uma musicalidade afro-eclética peculiar.

Akwetto começou a sua investida na música ainda na adolescência, ao estudar Teoria Musical no antigo Elinga Teatro, em Luanda. Em 1994 fundou o seu primeiro grupo musical, Da Bi (Da Banda), cujo trabalho consistia sobretudo em músicas de intervenção social, no estilo rap e rnb. Com apenas três anos de estrada, Akwetto mudou-se para a África do Sul e a banda acabou por dissolver-se.
No país de Nelson Mandela, o artista tocava teclado numa igreja evangélica e o que compunha nos tempos livres tinha como base a poesia e bases rítmicas de várias partes do mundo. As influências de sonoridades internacionais que ali foi conhecendo acabaram por redefinir a sua música.

Entretanto, voltou a criar um novo grupo, os Khristomaniacz, onde trabalhou com o já falecido guitarrista angolano Nguabi Montel, das Gingas do Maculusso.

Em 2004, o percurso musical do artista foi abruptamente interrompido com o falecimento da mãe, que considerava a sua maior inspiração. No papel continuou a rabiscar frases, a compor letras e ideias de acordes, mas acabou por dar prioridade aos estudos.

Agora, podemos apreciar o seu regresso à música, com este A Cor da Saudade em todas as plataformas de streaming.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

No Comment.

Artigos Relacionados

PUB