Procurar
Close this search box.

Apple vai apostar na produção a partir de material 100% reciclado

Apple
@Forbes

A Apple vai apostar na produção de peças a partir de material 100% reciclado de forma a evitar a poluição através de lixo electrónico e combater o lado mais negro da internet. Esta medida vem combater  as 60 milhões de toneladas por ano que são enterradas no planeta Terra que por sua vez acabam por contaminar o terreno.

Nos dias de hoje ainda existem muitos países africanos que vivem da agricultura e que têm sofrido graves consequências com a poluição do solo, apesar de não atingir a economia afecta muitas famílias que vivem do que a terra lhes dá. Quando falamos no lado negro da internet, estamos a referir-nos à exploração infantil e a exploração em países africanos por parte das grandes empresas.

Apple
@The Verge

A Apple parece ter dado ouvido aos diversos protestos a favor dos direitos humano e no seu relatório de progresso para 2017 comprometem-se em apostar a 100% no material reciclado. Neste documento gigante de Tim Cook não estabeleceu nenhuma data mas já está num bom caminho.  Os edifícios da Apple são geridos a energia solar, eólica e cinética e todo o processo de empacotamento é feito de material renovado.

“Estamos um bocado nervoso porque estamos a fazer uma coisa que nunca fazemos. Estamos a anunciar um objectivo antes de percebemos como o vamos alcançar. Mas este é uma meta importante porque acreditamos que é este o caminho que a tecnologia deve seguir,” disse a vice-presidente do ambiente, sociedade e política da Apple, Lisa Jackson à Vice.

Relembramos-te que podes ouvir os nossos podcasts através da Apple Podcasts e Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis no nosso canal de YouTube.

Para sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN, envia-nos um email para [email protected].

Recomendações

Procurar
Close this search box.

OUTROS

Um espaço plural, onde experimentamos o  potencial da angolanidade.

Toda a actualidade sobre Comunicação, Publicidade, Empreendedorismo e o Impacto das marcas da Lusofonia.

MAIS POPULARES