PUB

Ary Rafeiro mistura afrobeats e samba em “Bom Malandro”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Para dar uma nota de boas vindas aos que gostam de misturas musicais entre Brasil, Nigéria, Cabo Verde e Portugal, Ary acaba de lançar “Bom Malandro”. A música é produzida por Ary Rafeiro e Zoo, e o clipe foi realizado, escrito e dirigido pelo próprio cantor.

Ao ouvir a música é inevitável não sentir a presença da singular batida do afrobeat e do ritmo acelerado proporcionado pelo cavaquinho, cuica, pandeiro, tantãn e do surdo, instrumentos usados como a base do samba.

Apesar de ser uma ideia que parece ser teoricamente fácil, Ary disse que a mistura é ritmicamente é difícil, pois são sonoridades con características bem distintas e complexas.

“Poderia ter dado um erro grande, felizmente não deu. Nunca tinha sido tentado, e não é fácil ritmicamente de as fazer casar, visto que o afrobeats baseia-se na simplicidade e o samba/pagode na complexidade rítmica, logo achar o meio termo é complicado”, explicou Ary.

O nascimento dessa união aconteceu em Lisboa, pelas mãos de Ary Rafeiro e Zoo, que foram os responsáveis pela maior parte da produção de “Bom Malandro”. Ary contou que teve de contactar o SupaSquad Mr. Marley, para dar uma sonoridade menos orgânica do beat da música.

“Marley é o único produtor convidado do álbum. Ele deu- nos a sonoridade que não estávamos a conseguir atingir”, afirmou Ary.

“Bom Malandro” é cantada por Ary Rafeiro e no final, o cantor é acompanhado por Scardinni, Serginho Motta e Dino D’Santiago, que emprestam os seus sotaques cariocas e crioulos ao refrão. Serginho Motta além da voz deu também os seus acordes do violão, o cavaco é de Lucas Souza, baixo de Jackson Azarias, e percussão de Weslley Santiago, que também gravou todos os instrumentos.

Para os mais atentos, ao assistir ao clipe de “Bom Malandro”, pode-se observar algumas cenas que relembram o tratamento visual da música “Beautiful”, de Snoop Dogg e Pharrell Williams, gravado em pontos turísticos e nas favelas do Rio de Janeiro. Ary gravou na Comunidade da Rocinha e reuniu os amigos numa lage para uma roda de afrobeats e samba. O clipe foi realizado,dirigido e escrito por Ary Rafeiro e contou com a Iuri Policarpo, Mateus Alves, Lincoln Moura na operação de câmara.

“Bom Malandro” é uma linguagem usada principalmente por sambistas do Rio de Janeiro, onde “malandro” faz referência à génese do povo carioca. Ao contrário do que se possa pensar, o termo não é pejorativo. É relativo à “ginga de saber viver e sobreviver às contradições da vida com um sorriso no rosto”, diz-nos Ary.

Para o artista, “ser um “bom malandro é a aceitação dos seus ‘sambas em cordas bambas’, enquanto malandro e renovação das suas ideologias e ações enquanto bom coração”.

Antes de “Bom Malandro”, Ary Rafeiro cantou “Tão Linda” ao lado de Uzzy, Rony Fuego e Mr. Marley. Ambas as músicas vão fazer parte do primeiro álbum conceitual de Ary, o Contos de Amor de Um Bom Malandro.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB