PUB
daniel e daniela
"Daniel e Daniela, de Sofia pinto Coelho | DR

“Daniel e Daniela”, um filme sobre pensamento crítico e legado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Daniel e Daniela é um documentário sobre a viagem de pai e filha às origens africanas e que explora o tema do colonialismo, da afirmação racial e do desenvolvimento do continente africano. Realizado pela autora e jornalista portuguesa Sofia Pinto Coelho, o filme tem estreia marcada nesta quarta-feira 14, na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa.

Daniel, de 83 anos e dono de uma das maiores bibliotecas privadas do mundo sobre os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, decide levar a filha, de 12 anos, a um périplo entre Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe com o intuito de transmitir-lhe conhecimento e ajudar a desenvolver pensamento crítico na jovem pré-adolescente. A produção da Ukbar revela-nos a cumplicidade entre pai e filha, numa viagem improvável que se torna num diálogo sobre racismo, herança colonial, memórias familiares e aspirações individuais que percorre mais de cem anos de História.

“Após assinar Carta ao meu Avô e Despojos de Guerra, a impressionante série documental sobre heróis anónimos da Guerra Colonial, a jornalista Sofia Pinto Coelho estreia-se no cinema com este filme que nasceu quando conheceu Daniel Nunes, um dos protagonistas desta história, que tem uma das maiores bibliotecas privadas do mundo sobre África lusófona – 40 mil volumes – e a marcou não apenas pela sua erudição, nem pelo seu percurso de vida, mas sobretudo pelo desassombro com que aborda temas que ainda causam desconforto, como a escravatura ou o colonialismo”, lemos no comunicado enviado à redação.

Nas palavras da realizadora Sofia Pinto Coelho, “ao sabor de um road movie, o projeto pretende, em suma, abordar a temática do racismo e da igualdade de oportunidades, a par de observações sobre desenvolvimento sustentável. Através de um diálogo, construído à medida que se vai avançando no terreno, este documentário é, no fundo, o legado que um pai-velho deixa à sua filha-menina e, simultaneamente, uma ode à natureza”.

A ante-estreia do filme acontece já esta quarta-feira, na presença do embaixador de Cabo Verde, Eurico Monteiro, na Cinemateca Portuguesa. A exibição nas salas de cinema acontece a partir de quinta-feira, 15 de setembro.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB