PUB
elida almeida

Élida Almeida vence prémio revelação em Paris

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Élida Almeida, cantora cabo-verdiana, foi distinguida em Paris com o prémio internacional “Découvertes RFI” [Revelação Rádio Francesa Internacional], que distingue sobretudo artistas francófonos.

A distinção é assinalada com a “abertura deste prémio” além francofonia, disse a presidente do júri Oumou Sangaré.

Natural da ilha de Santiago, Elida Almeida, tem 22 anos, canta em crioulo e recorre frequentemente para as suas composições aos ritmos tradicionais cabo-verdianos como o batuque, a morna ou o funaná.

O seu primeiro disco “Ora Doci Ora Margos” (Ora doce, ora amargo) tem a chancela da Lusafrica, editora de Joe da Silva, que lançou Cesária Évora.

De acordo com o júri, Elida Almeida faz parte de uma nova geração de artistas cabo-verdianos que conseguem “atravessar fronteiras e conquistar o mundo, tendo sido distinguida pelo seu profissionalismo e presença em palco”.

“Ela emana muita energia em palco, é qualquer coisa de muito forte”, considerou Blick Bassi, outro elemento do júri, considerando que esta é uma importante caraterística para construir uma carreira a longo prazo.

elida almeida rfi
@Jacqueline Mpii

A artista cabo-verdiana, que estava nomeada com as músicas “Nta konsigui” e “Lebam ku bo”, conquistou o prémio a que concorriam outros 13 artistas africanos: Asden e Liz (Congo), Banlieuzart (Guiné-Conacri), Darline Desca (Haiti), Dioba (Mauritânia), Elinam (Togo), Joey le Soldat e Kantala (Burkina Faso), Mao Sidibé (Senegal), Mélodji (Chade), Mija (Madagáscar), Sanzy Viani (Camarões) e Woodsound (Benin).

Como vencedora, Elida Almeida vai ganhar 10 mil euros, e viagens em África e para França, para promoção do seu trabalho.

O artista cabo-verdiano, Tcheka, foi o vencedor deste prémio em 2005.

Fonte: Lusa

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

WP Post Author

PUB