PUB
Netflix
Foto : Joseph Pearson

Já começou o Festival Internacional de Cinema de Maputo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Já começou o Festival Internacional de Cinema de Maputo, em Moçambique. A decorrer até 5 de junho, o circuito homenageia a cineasta Hermelinda Simela e vai contar com a apresentação de filmes nacionais, de Angola, Brasil e Portugal.

São mais de 15 filmes de origem lusófona que serão exibidos nas salas convencionais e espaços alternativos no Maputo International Film Festival.

Com um programa que inclue exibições de filmes em escolas, como o Colégio Kitabu e na Escola Secundária da Polana, o festival também vai contar com espaços para estudantes conversarem com os realizadores.

Queremos que o público infanto-juvenil tenha contato com obras

Em comunicado de imprensa enviado à nossa redação, o diretor do festival, Wildford Machili indica que o evento poderá acolher cerca de duas mil pessoas. “Com a exibição dos filmes, esperamos atrair uma audiência com tópicos populares para que mais pessoas adiram às salas. Esperamos receber pelo menos duas mil pessoas durante as secções. Exploramos as escolas, pois queremos que o público infanto-juvenil tenha contato com obras nacionais e saibam quem são os nossos cineastas”, apontou Wildford.

Esta edição do circuito internacional de cinema em Maputo aproveita para homenagear Hermelinda Simela, atriz, produtora e realizadora maputense, falecida no ano passado. Será exibida a sua última obra, a curta Fénix em Hibernação, que traz a história de Kate, uma diva da música de Moçambique, durante a pandemia vê-se privada dos excessos das noites de espetáculos, sem álcool, drogas nem viagens, e entra em depressão.

Um dos vários filmes de Moçambique que irá fazer parte do festival é Nhinguitimo, de Licínio de Azevedo, uma adaptação do conto de Luís Bernardo Honwana. A curta metragem expressa a “vocação do cineasta para olhar para trás como quem pensa o seu tempo no espaço onde habita”.

Outros cineastas nacionais como Ivo Mabjaia, Rupia Júnior, Gigliola Zacara, Xavier Bila, Victor Khumalo, Eric Mugabo, Ique Langa, Natércia Chicane e Láudia, também integram o cartaz.

Angola será representada por três filmes, Dois Mundos de Hochi Fu, Alzheimer de Blandine Klander e o recente Parto Rosa, a primeira curta-metragem de Renata Torres.

Do Brasil foram selecionados Ilha das Flores de Jorge Furtado, Estômago de Marcos Jorge e o clássico e vencedor de BAFTA, Cidade de Deus, de Fernando Meirelles.

Portugal vai levar Ruth, de António Pinhão Botelho, que conta a história e o percurso de um dos filhos de Moçambique e que foi um dos maiores astros do futebol mundial, Eusébio.

O Maputo International Film Festival é organizado pela Big Picture, um coletivo nacional que espera popularizar a sétima arte, tornando mais acessível a todos os públicos.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB