PUB

Isis Hembe lança EP “Quintessência”

O rapper Isis Hembe lançou esta sexta-feira, 24 de junho, o EP Quintessência, o primeiro projeto a solo com o selo da Swahillilândia.

Este é o terceiro projeto do artista que sucede a O Escrivão Solar, lançado em 2021, trabalho que projetou o seu nome dentro do circuito de rap alternativo em Angola.

Quintessência é um trabalho que mostra o potencial de Isis Hembe de se expandir daquilo a que estamos habituados dentro do rap alternativo.

Com uma sonoridade de fácil digestão, o artista mantém a sua marca de explorar à exaustão as possibilidades da palavra e partir de uma postura ousada que flerta com canto, em determinadas ocasiões dos refrões, por exemplo.

É um EP que trilha um caminho do rap alternativo onde a musicalidade e o lirismo não estão de costas viradas.

O propósito do EP Quintessência é demarcar-se um pouco da atmosfera obscura e hermética do anterior O Escrivão Solar e promover outras emoções, mais brandas em relação ao que está associado à imagem do artista e, para isso, contou com a produção de Elzo Sénior, Dr Tr3z e Alan Godoy também conhecido como TRSS.

A nível de temática, o EP tem a minúcia lírica de Isis Hembe que a partir de um conceito próprio une a forma e conteúdo, ou seja, o flow e os temas para expressar o seu entendimento sobre a dinâmica da vida contemporânea, as prioridades, os hábitos e as exigências sociais, por outro lado, a necessidade de se viver as demandas espirituais individuais.

Cada música é inspirada nos quatro elementos. No Fogo: “Colérico”, uma faixa estridente com rimas ácidas e instrumental pesado; Ar: “Sanguíneo”, som mais fluído, mais solto e vivo; Água: “Fleuma”, som mais contemplativo e reflexivo e, por fim, Terra: “Melancólico”, um som mais melancólico e inquisitivo

Com 34 anos, Isis Hembre desafia os estereótipos colados aos rappers dos tempos modernos. Portador de paralisia infantil, desde os dois anos – que acabou por não ser tratada devido ao período de guerra que se vivia na altura -, Hembe é natural do Bié, mas foi no Cuando-Cubango que começou a ganhar interesse pelo hip hop, a partir de 2003. Com Boss AC, Gabriel o Pensador, Grande L, Ikonoklasta, Kool Klever como influências, o artista em 2020 arriscou finalmente dar o pontapé de partida na sua carreira.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB