PUB
Jay Kim

Jay Kim, da igreja em Maputo para os holofotes na Europa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Joaquim Daniel Mazivila é Jay Kim, um músico, compositor e produtor moçambicano que tem conquistado cada vez mais espaço na senda musical do seu país e não só.

Entre os seus sucessos contam-se “Dona da Minha Vida”, “Minha Vitamina”, “Desejo de Amar” e “Diz Que Me Ama”, esta última com mais de 20 milhões de visualizações no YouTube. Nas colaborações destacam-se Gasso Franco, Boy Teddy Juvencio Luis, Mike Miler e o português RR.

Com a sua kizomba, Jay está agora numa digressão por Portugal e Suíça, onde já conseguiu alcançar uma boa base de fãs.

Os primeiros passos na música surgiram através da igreja Velha Apostólica que frequentava quando pequeno. Ali, foi inspirado pelo maestro que sempre motivou Jay a seguir o que queria.

As inspirações chegam-lhe de todo o lado. A nível internacional, as suas referências são Usher, Chris Brown e Rui Veloso e, a nível PALOP, Jay destaca nomes como Anselmo Ralph, Totó, Dji Tafinha, Nelson Nhachungue, Hermínio e Hortêncio Langa.

Num breve encontro, tivemos a oportunidade de conhecer melhor o artista, que aproveitou para falar sobre o seu mais recente single “Hold You“, em parceria com Riccy Rodrigues.

Quem é Jay Kim?

O Jay Kim é o Joaquim Daniel Mazivila, nascido em Maputo, no Bairro de Maxaquene, em 1992. É um jovem sonhador ,conhecido como batalhador, humilde, simples, carismático, feliz, gosta de estar em Família e de fazer o bem.

De onde surgiu o interesse pela música?

O gosto pela música surgiu na Igreja, no grupo coral em que participava, ao comando do jovem Abel Machaei. O Abel foi a pessoa que me deu orientação e motivação para ir mais além musicalmente. Ensinou-me técnicas de canto e deu-me o suporte para elevar a minha autoestima.

Além de saberes tocar guitarra e produzir, que outro instrumento gostavas de domar?

Gostava imenso de aprender a tocar piano.

Como tens programado a divulgação dos shows em Portugal e Suíça?

As redes sociais acabam por permitir a divulgação dos meus trabalhos com mais facilidade, assim como os media que têm-me apoiado incondicionalmente.

Qual é o feedback que tens recebido?

Sou muito bem recebido pelos meus fãs, aos quais agradeço incondicionalmente pelo apoio e motivação. Eles dão-me a força para continuar a trabalhar e a concretizar os meus objetivos.

Quando é que a tua ascensão começou?

Com a Dona da Minha Life. Esse foi o começo de tudo. Com esse projeto, o rapaz do bairro da igreja conseguiu abrir caminho para os holofotes. Ganhei destaque na kizomba e hoje sou um orgulho para outros jovens sonhadores como eu.

Como te vês daqui a dez anos?

Daqui a 10 anos quero continuar a minha carreira, continuar a cantar para as pessoas, isso é uma das coisas que me faz feliz. Quero tornar-me numa referência do meu país.

Como é que a pandemia afectou a tua carreira?

Tive que reinventar-me. Foi como ter que nascer novamente. Tal como o Joaquim veio do bairro e consegui criar o personagem Jay Kim para poder concretizar os seus sonhos, então pensei ‘porque não inverter os papeis mais uma vez e fazer de Joaquim o combustível para poder dar sustentabilidade ao sonho do Jay Kim?’. Então tive que desenvolver outras habilidades além da música. Hoje posso dizer em voz alta que consegui. Tendo muitas novidades para 2021/2022 com um álbum de Nome Atitude.

Como nasceu a faixa “Hold You” com o Riccy Rodrigues lançada no dia 10?

Criei o conceito da música, escrevi a letra e senti algo muito forte. Aí, veio-me na mente logo o Riccy, sendo que é um artista emergente e tendo em conta o talento e amizade que temos, convidei-o para participar na música. Ele aceitou porque foi algo com que também se identificou.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

No Comment.

Artigos Relacionados

Eliandro Rocha

20,90 

PUB