PUB
Konfuzo 412

Konfuzo 412, a nova promessa do rap moçambicano

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Konfuzo 412 é o nome de um dos rappers moçambicanos que mais têm ganho espaço na nova escola da Pérola do Índico, nos últimos anos.

Alberto Laisse Jr., nome de registo, define-se como um homem cheio de sonhos, traumas e medos, que busca pela felicidade fazendo o que mais gosta. Em conversa com a BANTUMEN, o artista revelou alguns detalhes sobre a sua carreira e os eventos que mais a marcaram até agora.

Nascido na cidade de Maputo, concretamente no Alto Maé – onde viveu até aos 5 anos – e atualmente Konfuzo vive na Matol (Liberdade).

A entrada no mundo musical resulta da necessidade de querer “contar a minha história e falar sobre coisas que não conseguia abordar em conversas com familiares e amigos”, explica-nos o rapper, cujo nome artístico é inspirado das “confusões” que marcam a sua vida. Aos quatro meses foi diagnosticado com uma hérnia inguinal e as chances de sobrevivência eram muito poucas. O sucesso da operação acabou por ditar o contrário. Já na adolescência, em 2004, Konfuso volta a passar por outra provação. O pai falecera em consequência de um acidente de viação, o que mudara radicalmente a vida do jovem.

Konfuso 412 considera-se um artista que quer explorar a diversidade. “Quero fazer tudo o que puder”, ressalva.

Em termos de lírica, o jovem rapper defende que “​​a mensagem depende muito do estado de espírito e é essa diversidade de humores que eu tento retratar”.

A sua estreia aconteceu na Bass Records, em 2015, através da faixa musical “Born Sinner Remix”.

Entretanto, a sua popularidade deve-se ao lançamento de Ovos de Ouro, onde trabalhou com vários outros artistas. “A ideia era criar músicas com outros artistas e o conceito era mesmo trazer algo brilhante, algo de ouro”, disse.

Em 2021, o álbum A Liberdade do Alberto, considerado pelo artista como o seu “projeto mais honesto”, traz para a mesa a sua história de vida, “sem censuras e sem medo de expor a vulnerabilidade”. 

Neste percurso discográfico, o rapper já colaborou com artistas como Jay Argh, Hot Blaze, Mark Exodus e Teknik, Al Bvmbino, Hernâni da Silva e a sua musicalidade é influenciado por vozes como Valete, Sam the Kid, Al Bvmbino, Teknik e J cole. 

Questionado sobre como olha para o mercado musical nacional, Konfuso acredita que o potencial dos artistas ainda não está a ser suficientemente explorado, defendendo simultaneamente a necessidade de apoio por parte dos órgãos de comunicação na promoção e divulgação dos artistas. “Acho que existe cá muita qualidade e que podia-se investir mais porque é realmente notória a elevada qualidade em termos de conteúdo, principalmente na música moçambicana”, explicou.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

No Comment.

Artigos Relacionados

Coleção Black Power

16,90 

PUB