Procurar
Close this search box.

Se não és educado, não comuniques

opiniao

As balizas do arrojado, do irreverente ou do frontal fazem com que algumas marcas ultrapassem aquilo que cabe na boa educação. Os sexismos, as homofobias, as xenofobias foram, em tempos, caminhos utilizados pelas marcas e, por consequência, por comunicadores, para fazer valer missões, visões ou valores. 

Acredito que recorrer a piadas machistas possa parecer um acesso directo para chegar a um determinado target. Trazer referências de cores ou raças quando se fala de um povo/país, pode eventualmente ser outra estratégia. Há ainda o falso elogio quando se fala de algumas religiões. 

Ora, relembro que se espera que a comunicação, qualquer que seja a sua natureza, seja feita de forma educada. E isto sem falsos moralismos, já que há marcas que têm o seu ADN mais explícito que outras e isso faz com que exista algum atrevimento e rebeldia nas palavras ou expressões utilizadas.

Quem é que não gosta de uma piada que o faça rir? Muitas vezes, esquecemo-nos é das outras dezenas que não acham piada nenhuma e a quem estamos a ofender, reduzir ou humilhar. Com isto, o número de pessoas que começa simplesmente a ignorar a nossa presença na prateleira do supermercado aumenta substancialmente. 

Na dúvida sobre o atrevimento, pense sempre na gargalhada que a sua mãe daria se ouvisse aquilo que acabou de comunicar. 

Relembramos-te que podes ouvir os nossos podcasts através da Apple Podcasts e Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis no nosso canal de YouTube.

Para sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN, envia-nos um email para [email protected].

Recomendações

Procurar
Close this search box.

OUTROS

Um espaço plural, onde experimentamos o  potencial da angolanidade.

Toda a actualidade sobre Comunicação, Publicidade, Empreendedorismo e o Impacto das marcas da Lusofonia.

MAIS POPULARES