PUB
NGA

NGA, casamento, novos hábitos e os planos para o futuro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Depois de três anos desde o lançamento do último projeto, NGA lançou recentemente um novo single, intitulado “Dona”, que conta com a participação do cabo-verdiano Hélio Batalha.

A participação do rapper crioulo surgiu depois de vários anos de algum contacto entre ambos e de uma admiração mútua. “Do que temos visto, dos últimos sete, oito, anos, o Hélio é sólido. Identifico-me e gosto [da música dele] e ele transmite uma energia que combina com a nossa”, disse o líder da Força Suprema. “E eu não queria que a música fosse de ego de MC. Queria que fossemos nós a fazer uma coisa intemporal para as senhoras (…), algo diferente, algo mais soft com uma vibe mais kizomba”, acrescentou.

“Dona” retrata uma nova fase de NGA. Os 40 anos estão a chegar, com uma vida bem maturada, um filho acabado de nascer, um casamento horas antes de subir ao palco para celebrar 20 anos de carreira e uma estabilidade pessoal, financeira e até emocional, que a música ajudou a criar.

As experiências são agora vividas entre os quatro muros da sua herdade na região portuguesa de Santarém, que partilha com Don G e as famílias de ambos. O tempo, esse, é dividido entre o estúdio que construíram, a leitura que passou a ser um hobby, os amigos que por lá vão aparecendo e a família Força Suprema. Monsta é também um novo proprietário, de um “pequeno” triplex a cerca de 15 minutos de distância, revelou-nos NGA.

A nova música é resultado deste novo ambiente, inspirada também nas mulheres da sua geração que o rodeiam, como as primas e a esposa Sofia. “Cada vez mais levo mais tempo com as palavras, cada vez mais leio mais, não quero ser um mais velho aguado”, afirmou o rapper.

Após ser questionado sobre um possível álbum em celebração do seu 40.º aniversário, NG diz que não pensa no assunto, pois o foco deste ano é o lançamento do álbum de Monsta.

O mesmo sublinhou que as novas experiências fizeram-no mudar a visão que tem do mundo e a ver “a coisa grande” e diferente, ganhando uma visão mais empreendedora. A nível de negócios, pretende criar algo além da música.

Contudo, o rapper finaliza que apesar da mudança nos hábitos, ainda continua a fazer música, pois, faz parte de si, mas não quer prender-se ao título de MC . “Eu sou mais do que um MC”, refletiu.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB