PUB
Backstage

Álbum “Ngana Zambi” dos Wet Bed Gang já é disco de platina

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

As 300 horas de estúdio compensaram os Wet Bed Gang. Ngana Zambi, o primeiro álbum dos Wet Bed Gang, lançado em fevereiro, já vendeu mais de quinze mil cópias em Portugal, e acaba de atingir o escalão de disco de platina, entrando para o topo da lista de conquistas que o grupo alcançou durante os últimos tempos.

O anúncio foi feito na página oficial da distribuidora Altafonte, que divulgou também alguns testemunhos dados pelos membros da Gang, primeiramente acerca do processo criativo da obra.

“Tínhamos um quadro de apontamentos para o álbum e era lá onde metíamos o nome para cada música, mas esses nunca ficaram como originais… Tivemos de andar ali meia dúzia de dias a repensar os nomes de quase todos que iam ser dados às músicas”, explicaram.

Sobre o significado que Ngana Zambi carrega, o quarteto sensação explicou a escolh. “Demorou até conseguirmos chegar ao nome. No sentido de perceber qual a melhor forma de expressar o significado que o álbum continha. ‘Como dizer Filhos do Rossi sem o dizer? Foi aí que chegamos a Ngana Zambi e decidimos, também avançar com a capa”, esclareceram.

Além do disco de platina, o Gang da V-Block já conquistou números interessantes nas plataformas de streaming, como é o caso da música “300”, que já foi ouvida mais de quatro milhões de vezes e que segundo o grupo, quase ficou de forma do álbum.

Ngana Zambi tem 14 faixas e começou a ser pensando em 2017. Além de ter as vozes de Gson, Zara G, Kroa e Zizzy Jr., o álbum conta com a voz do kota Bonga, que explica o significado da palavra de origem kimbundu (língua angolana). “É o protetor. Se queremos tradução em língua portuguesa, é anjo da guarda, que não tem forçosamente a ver com religião. Porque quem te protege pode ser o teu pai, tua mãe, teu avô, teu vizinho, quem te dá os ensinamentos e que te protege. Em África, Ngana Zambi está connosco. Na hora do infortúnio, das desavenças, não há quem não diga Ngana Zambi”, explanou Bonga.

Na produção deste primeiro projeto do grupo, temos o habitual contributo do mestre e guia, El Condutor, além de Charlie Beats, Lhast, Holly, Kid Simz, Lazuli e Ricardo Estevão.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

No Comment.

Artigos Relacionados

PUB