PUB
Paulina Chiziane
📷: LUSA - ANTÓNIO SILVA

Moçambique: Paulina Chiziane vence Prémio Camões

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A escritora e primeira romancista moçambicana Paulina Chiziane sagrou-se vencedora da 33ª edição do maior prémio da literatura portuguesa, designada “Camões”. Oito anos depois, o prémio, avaliado em 100 mil euros, volta a Moçambique.

José Craveirinha (1991) e Mia Couto (2013) foram os primeiros laureados, tornando-se assim Chiziane a primeira mulher a recebê-lo.

O júri, que decidiu com unanimidade atribuir o prémio à escritora, destaca que encontra-se na literatura do Paulina uma vasta escritura e recepção crítica, bem como o reconhecimento académico institucional do seu trabalho e dedicação aos problemas da mulher moçambicana, num encontro da literatura com as outras artes.

Citada pelo jornal Correio da Manhã, Paulina anseia que este prémio sirva para “despertar as mulheres e fazê-las sentir o poder que têm por dentro”.

A eleição mereceu uma felicitação vinda do Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, que referiu ser “um merecido reconhecimento à obra desta escritora que com grande mestria tem sabido retratar o país”, destacando que o mesmo sirva de inspiração aos moçambicanos a darem o seu melhor no que fazem.

Nascida em Manjacaze, província de Gaza, Paulina Chiziane estreou-se com Balada de Amor ao Vento, expondo a poligamia, as tensões culturais, políticas e religiosas numa realidade machista que trava a iniciativa da mulher, em contradição com a modernidade.

É também autora de obras como Ventos do Apocalipse (1993), O Sétimo Juramento (2000) e Niketche: Uma História de Poligamia (2002), com o qual venceu o Prémio José Craveirinha de Literatura, em 2003, organizado pela Associação Escritores Moçambicanos (AEMO).

O Prémio Camões foi iniciado em 1988 numa parceria entre Portugal e Brasil, com o objetivo de distinguir um autor “cuja obra contribua para a projeção e reconhecimento do património literário e cultural da língua comum”.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

No Comment.

Artigos Relacionados

PUB