PUB
© @lilo.oliveira_

Proteja Os Seus Sonhos 2, a exaltação da cultura negra no Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Exaltar a cultura negra é tão necessário quanto urgente. Apesar de estarmos na era da informação, ainda existe uma certa ignorância relacionada à população preta. Quando a narrativa não é feita por quem não vivencia as experiências (boas e ruins) da negritude, ela sempre está associada ao que é negativo – principalmente se estiver relacionado ao racismo, violência ou sexualização. 

Seguindo um caminho contrário, o Proteja Os Seus Sonhos (POSS) chega ao seu segundo volume justamente para mostrar que negros e negras – de todas as classes e gêneros – têm poder, capacidade e potência para contar e escrever a própria história. Mais uma vez, a iniciativa da AUR (plataforma brasileira voltada à cultura preta) promove encontros criativos entre 18 artistas de diferentes segmentos. 

A atriz Zezé Motta, Luedji Luna, o rapper BK, o duo YOÙN, Tie, Luthuly, Thiago Pantaleão, Lukinhas, Kynnie, Késia Estácio, Juye e Izrra são alguns dos nomes que dão vida ao projeto multiplataforma.

“O POSS é pautado em ousadia e coragem para a gente realizar os “nossos” sonhos”, observa Theo Zagrae, responsável pela produção musical. “Então, para essa mensagem ser mais abrangente, a gente tinha que ir por um caminho mais “popular”, não só nichado no r&b, rap, pop. E foi mais fácil esse resultado por conta da mesma banda participar de todas as músicas, aí a unidade sonora fica mais sólida”. 

De fato, o  vol. 2 se distingue musicalmente do anterior, mas mantém a essência. O tema abordado é o “Autocuidado”, tendo como ponto de partida o manifesto #NãoFalaremosSobreOFeticheEmNós, escrito por Pedro Bonn (o cabeça pensante da AUR, eleito pela Caneta & Papel uma das 30 vozes que estão contribuindo com a mudança no mercado de comunicação no Brasil), Barbara Fuentes e Sthefany Barros.

Ele exemplifica de forma objetiva o que o ouvinte não encontrará ao longo dos 39 minutos de imersão. Reafirma também a força, a resistência e singularidade (e a pluralidade) de um povo que representa mais de 50% da população brasileira. Essa representatividade afro-brasileira está presente em toda a estrutura, fazendo cair por terra a máxima de que não existem profissionais pretos capacitados nas mais diferentes áreas de trabalho. 

“O Proteja me prova que eu consigo fazer coisas grandes. Que consigo movimentar pessoas incríveis ao meu redor”, afirma Pedro. “O POSS 2 é o maior projeto artístico de 2021, justamente por conectar pessoas pretas de forma livre. A gente precisa disso nessa cena, gerar confiança entre nós mesmos”. 

Para cada uma das nove faixas foram produzidos vídeos-performances, gravados no hotel boutique Chez George, em Santa Teresa, no Rio de Janeiro. O conjunto da obra, fecha com primor (sem deixar pontas soltas) o que foi iniciado em 2020 para fortalecer a negritude e dar esperança àqueles que estavam desacreditados da sua própria capacidade.

“É o projeto da minha vida, até agora”, ressalta Zagrae. “Eu ajudei a conceber cada canto dele, por tanto é o lugar que eu mais me sinto à vontade para me expressar artisticamente e ver que o time que trabalha comigo gosta do projeto, do som, das ideias, é a minha maior alegria e alvo”.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB