PUB
Web Summit 2021
📷: Christina

Cabo Verde vai ter um novo ‘hub’ tecnológico

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A empresa multinacional PwC, presente em Cabo Verde há quase 30 anos, vai construir no arquipélago um “centro de competências, a nível do digital, que trabalhe para o mundo”, revelou a mesma durante o evento de assinatura de um memorando de entendimento com o governo do país.

Manuel Conde, da PwC, explicou que o objetivo é levar o “trabalho para Cabo Verde”, formando localmente para que as competências sejam aplicadas a partir do arquipélago nas várias soluções tecnológicas e plataformas globais em que a empresa está envolvida.

“Na verdade, há uma escassez de talento que ‘contrabalanceia’ com um outro fator importante: No fundo, a formação profissional, hoje em dia, não é a mais adequada do ponto de vista de colocar o talento disponível nas organizações. E nós, PwC, no fundo com a nossa experiência naquilo que é o uso de um conceito de academias, que já o fazemos há anos, queremos alterar essa lógica”, acrescentou Manuel Conde, Customer Transformation Partner da PwC Portugal (responsável por Cabo Verde).

“O objetivo é até ao final do próximo ano conseguirmos ter 150 elementos a trabalhar no nosso ‘hub’ tecnológico”, afirmou ainda.

Uma aposta, que, assumiu, passa pela “diferenciação do modelo de capacitação”, de forma a “contribuir para o crescimento sustentado do emprego do mercado de trabalho em Cabo Verde”.

“Queremos também conseguir fazer chegar o talento mais cedo e em melhores condições às organizações, aumentar a empregabilidade no país e com isto quero dizer melhores empregos, com melhores salários e melhores condições. É disso que estamos a falar. Aumentar esse fluxo de talento tecnológico, fazendo uso daquilo que é a nossa experiência”, disse ainda.

Para Manuel Conde, o projeto do ‘hub’ tecnológico em Cabo Verde surgiu “há mais de um ano”, precisamente porque o “maior valor” do arquipélago “são as pessoas e o capital humano”, com 40% da população com idade inferior a 24 anos e cerca de 9.000 alunos formados anualmente.

“É obviamente o capital humano que tem de ser potencializado e com isso queremos obviamente contribuir para a fixação de emprego da população jovem em Cabo Verde. Daí abrirmos o centro de competências, aqui. É uma oportunidade para requalificar carreiras para a população”, insistiu.

Para o responsável da PwC, Cabo Verde tem condições, técnicas e de capital humano, para se afirmar como um “player” tecnológico a nível internacional.

No evento, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, apelou aos jovens para “aproveitarem esta parceria” com a PwC para o país ganhar “boas sinergias” e provocar um “contágio positivo” que crie uma “onda de confiança” na adesão à formação e aplicação de competências em Cabo Verde nas novas tecnologias, que admitiu ser uma via para quebrar o ciclo de pobreza passado entre gerações anteriores no arquipélago.

“Espero que os resultados — e serão – sejam muito positivos e que os jovens possam aproveitar as oportunidades”, afirmou o chefe do Governo, recordando que em 1995 participou na inauguração do primeiro escritório da PwC em Cabo Verde, então como secretário de Estado das Finanças.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB