PUB
Soraia Ramos
📷 : Olson Ferreira / BANTUMEN

Soraia Ramos, quando a persistência leva ao sucesso

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Se a carreira de Soraia Ramos já estava no caminho certo desde que se juntou à família Klasszik, “BKBN” foi o foguete que a fez chegar à estratosfera do planeta da indústria musical em Portugal e nos PALOP.

A acumular largas dezenas de milhões de visualizações, uma agenda requisitada e uma legião de fãs crescente, atualmente, Soraia é uma das artistas de origem crioula com maior popularidade internacional. “Nem sempre foi fácil encher esses palcos todos e é gratificante saber que as pessoas compram bilhetes para vir ver a Soraia Ramos, não é como se fosse um pedido, as pessoas querem ver”, confessou-nos a artista depois do seu concerto n’O Sol da Caparica. A apresentação aconteceu diante de milhares de pessoas que cantaram em uníssono quase todo o alinhamento da artista.

Nascida em Portugal mas com raízes cabo-verdianas, tem corrido o mundo a cantar as suas músicas e a fazer sucesso em qualquer palco que pise.

Ainda em tenra idade, aos 15 anos, Soraia imigrou para França e depois Suíça, onde acabou por inscrever-se no concurso “Vozes da Diáspora”, em 2009, ficando num insatisfeito quarto lugar. No ano seguinte voltou a tentar a sua sorte e terminou no primeiro lugar do pódio. Essa vitória foi o combustível que precisava para continuar a insistir numa carreira na música.

Começou por fazer covers no YouTube e nas redes sociais, chamando a atenção de vários seguidores e de artistas de renome como C4 Pedro, que a convidou a interpretar “Bo Tem Mel” no palco de uma das casas de espetáculos de maior renome em Paris, o Zénith. Mais de 10 mil pessoas assistiram. Depois disso, outros convites foram surgindo, sobretudo colaborações com artistas como NGA, Monsta, Deezy, Ravidson e JeyV.

Com o passar dos anos e das várias experiências musicais, em 2014, Soraia lançou o seu primeiro grande projecto, o EP Um Pouco De Mim, cujo tema com o mesmo nome conquistou o público. “Diz-me”, que conta com alguns milhões de visualizações no YouTube, também reforçou o seu estilo e identidade enquanto cantora profissional.

Em 2017, Soraia assinou com a Klasszik é ali que mostrado a sua versatilidade e todo o seu talento. Dois anos depois, a prova aconteceu com “BAI”, que hoje acumula mais de 19 milhões de visualizações. Como se não bastasse, ainda fez um remix com o irmão, Lisandro Cuxi, que passou dos 28 milhões.

Em plena pandemia, setembro de 2020, “O Nosso Amor”, com a colaboração dos Calema, que no momento em que estás a ler este artigo, já conta com mais de 35 milhões de visualizações. Foi um dos passos que fez com que Soraia Ramos fosse nomeada para os Afrimma – African Muzik Magazine Awards – de 2020, onde ganhou o Prémio de “Best Female Central Africa”.

Ainda no mesmo ano, foi nomeada para quatro categorias do MTV Awards 2020: Best Female Africa, Best Lusophone, Best Female Central Africa e Best Collaboration. Foi ainda capa do Equal da maior playlist feminina do mundo (Spotify) e foi capa da Apple Music African Month em 2020. Já em 2021, foi nomeada para os Afrimma nas categorias de Best African Female, Best lusophone, e Best Collaboration. No final de 2021, participou na maior concentração da indústria do entretimento do mundo na Times Square, Nova Iorque.

No dia de São Valentim, deste ano, Soraia Ramos lançou “BKBN”, um single de libertação, de empoderamento e de representatividade para todas as mulheres que um dia encontraram-se presas entre a traição e a manipulação num relacionamento. O tema tem hoje mais de 13 milhões de visualizações. Ficou mais de um mês no top 1 em Portugal e no Luxemburgo e entrou para várias playlists no Spotify. No dia 1 de maio deste ano, Soraia Ramos foi a primeira artista lusófona a ser capa da playlist Africa na Apple Music.

Em junho, apresentou-se ao vivo no Capitólio, para o tão aguardado primeiro espectáculo em nome próprio. O concerto foi um sucesso de casa cheia, com a subida ao palco de artistas convidados como o irmão Lisandro, Calema e Manecas Costa.

Desde então, tem pisado vários palcos à volta do mundo, entre a Europa, África e América do Norte. Muito do que tem acontecido é devido ao trabalho constante que tem feito e graças também ao seu mais recente single “BKBN”, que deu o que falar nas redes sociais em Portugal e nos PALOP. “BKBN deu uma volta grande mesmo, fico feliz por essa música estar a ser um sucesso. E acabou por ajudar as mulheres a mudarem as opiniões delas e a ver as relações de outra forma e a não aceitar muita coisa”, disse-nos.

Como a cereja em cima do bolo, ainda este ano, a artista não esconde a vontade de lançar um álbum.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB