Vado Más Ki Ás, uma vida a celebrar as rosas e os espinhos

Vado Más Ki Ás estreia novo projeto nesta sexta-feira, 11 de fevereiro. Rosas e Espinhos é um EP dedicado à Mulher, como uma nota de agradecimento e reconhecimento a todas as que cruzaram e continuarão a cruzar-se no seu caminho, contribuindo para a sua construção, enquanto homem e artista.

O “Amor Próprio” que Vado Más Ki Às reflete, de si e da cultura que o tornou no artista que é hoje, é o início, meio e fim da sua arte e que resulta em, pelo menos, dez anos de estúdio que acumulam visualizações, plays, colaborações, viagens e palcos.

O seu nome ecoa hoje por onde quer que se oiça hip hop tuga, seja em Portugal, França, Inglaterra ou Estados Unidos.

A música não o tirou do bairro – porque o bairro não se limita a um espaço geográfico de fronteiras abertas mas a toda uma experiência de vida e cultura comunitária que só, provavelmente, lugares rurais ainda providenciam – e é essa essência que mantém na sua música, mesmo estando atualmente ligado a uma editora de renome internacional. As suas vivências, experiências e realidade são o fio condutor entre artista, arte e fãs.

Vado Más Ki Ás
Foto: Divaldo Francisco

Depois de Processo, de 2021, Pikinoti Mano Vado abre-se agora em Rosas e Espinhos, com sete temas, onde explora temáticas de interesse pessoal, aborda o importante papel das mulheres na sua vida, as questões da auto-superação e do tão importante amor próprio que Vado defende ser a mais perfeita receita para vencer na vida.

Em mais uma entrevista para a BANTUMEN, Vado falou-nos das inúmeras viagens que tem feito nos últimos tempos, incluíndo a sua passagem por Providence, nos EUA, para atuar e do lançamento deste novo projeto.

“Foi das melhores receções que já tive, depois de tantas passagens pela Europa”, disse-nos o artista. Esse acolhimento por parte dos fãs de Vado não é de estranhar, afinal, foi a primeira vez que o artista pisou naquelas paragens e Providence (Rhode Island, EUA) reúne uma das maiores comunidades cabo-verdianas fora do arquipélago.

“Foram quatro meses de muitas experiências e muita emoção. Acabámos por receber vários tipos de amor de várias pessoas e que sentiram a nossa vibração no palco e por isso 2021 foi inédito nesse aspeto”, explicou-nos Vado sobre os concertos em França, Inglaterra, Cabo Verde, Guiné Bissau e Estados Unidos.

Sobre o Rosas e Espinhos, as referências não podiam passar ao lado da “nossa maior força”, as mulheres. Apenas com a sua mestria no microfone, este novo EP conta com a produção de Dr. Delio, bem como de aliados do universo MKA como Bentzy, Katana ou Yeezyyuri. Juntos, criaram um som que busca no afro-house, trap ou drill os mais modernos pulsares e os veículos perfeitos para transmitir as suas ideias para o mundo: “a vida não é um mar de rosas”, admite, “também está cheia de espinhos, mas isso não impede que eu não lute para me elevar a mim e aos meus”. Essa luta já tem banda sonora à altura: um trabalho carregado de força e amor, de cariz positivo e inspirador, com malhas que prometem bater nos phones e nos clubes, nos concertos e onde quer que alguém decida carregar no play. Seja no Bairro 6 de Maio ou em Nova Iorque, em Paris ou Londres: o efeito é sempre o mesmo – esta é a energia de que todos precisamos para colhermos as rosas sem nos picarmos nos espinhos.

Ouve a entrevista completa no canal de podcast da BANTUMEN em todas as plataformas de streaming e vê o respetivo vídeo no YouTube.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB
PUB