PUB

Histórias da Diáspora Negra, de Alice Marcelino, em exposição em Almada

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Alice Marcelino, artista visual nascida em Angola e a viver entre Londres e Lisboa, inaugurou este sábado a sua primeira exposição a solo em território português. Kitoko – Histórias da Diáspora Negra é um acervo fotográfico constituído ao longo da última década e que está patente até ao dia 5 de março na Galeria Municipal de Almada, no distrito de Setúbal. 

Kitoko significa bonito em Lingala e, para representar as origens congolesas da família materna, o título surge como “uma ode à minha mãe que também está representada na exposição”, diz-nos a artista.

Para Alice Marcelino a vertente artística “não esta dissociada das questões sociais. Elas complementam-se.” Além de expor o seu trabalho de vários anos, Alice quis criar um espaço de representação da vida e experiência negra, porque a experiência negra na diáspora é única e diferente daquela que um cidadão negro vive num país africano. Na diáspora, ser negro é ser estrangeiro eternamente, num país onde nasceu, ser o suspeito do costume, nunca pertencer realmente mas ao mesmo tempo contribuir tanto para a construção de uma nação. Somos criadores contínuos de cultura”, afirma a artista. 

Kitoko – Histórias da Diáspora Negra é um conjunto de fotografias provenientes de vários projetos desenvolvidos ao longo dos últimos dez anos, lançando um olhar sobre a cultura negra, as suas comunidades e os indivíduos que informam a experiência negra na diáspora, entre o Reino Unido e Portugal.

Nascida em 1980, em Luanda, Alice divide a sua vida profissional entre Londres e Lisboa. É formada em Fotografia pela Universidade de Est London e está a frequentar um mestrado em Media Digitais na Universidade Goldsmiths, também na capital inglesa.

No seu trabalho, explora sobretudo a cultura, tradição, migração e identidade refletindo os seus significados neste nosso mundo global em constante mudança.

Inaugurada em 1988, a Galeria Municipal de Arte foi o primeiro espaço aberto pela Câmara Municipal de Almada vocacionado para a divulgação das Artes Plásticas. Desde então a Galeria tem vindo a organizar regularmente exposições nas áreas da pintura, escultura, desenho, gravura, fotografia, cerâmica e tapeçaria.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB