PUB
Africa Planeta Globo Países Africanos
Africa Planeta Globo Países Africanos

Pandemia não afeta motores de crescimento em África

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A consultora Boston Consulting Group (BCG) defendeu que a pandemia de covid-19 não afeta os principais motores do crescimento africano e argumentou que a Europa e a África devem fazer uma parceria estratégica.

“A pandemia tem-se espalhado no continente africano, como nos outros sítios, e pode abrandar o crescimento económico a curto prazo, com os sistemas de saúde a serem esticados e os empresários a sentirem os efeitos, mas este impacto não deverá minar os motores essenciais do crescimento a longo prazo”, lê-se num relatório que será divulgado no Fórum Euro-África.

A idade da população ativa, a segunda maior a seguir à Ásia, com “jovens instruídos, talentosos e globalmente conectados, vai criar novas oportunidades, ao mesmo tempo que as principais economias trabalham para tornar os seus ambientes empresariais mais atrativos”, lê-se no relatório que analisa as relações entre a Europa a África.

“As 10 maiores economias melhoraram significativamente as pontuações sobre o estado de direito nos indicadores de governação do Banco Mundial nos últimos 10 anos, melhorando as pontuações agregadas em 15 pontos percentuais e o ‘ranking’ sobre a facilidade de fazer negócio melhorou 11 pontos, em média”, aponta-se no estudo, que defende uma aproximação mutuamente benéfica entre os dois continentes.

“No mundo pós-covid-19, África e Europa podem reforçar mutuamente os laços económicos, financeiros, políticos e culturais para capturarem novas oportunidades e lidarem com desafios comuns em conjunto”, salienta-se no texto.

O documento defende que “está na altura de elevar a relação para um novo nível baseado numa parceria de iguais visando a prosperidade partilhada”.

Para os autores do relatório que será divulgado durante a realização do Fórum Euro-África, que decorre em formato virtual hoje e sexta-feira, “a importância estratégica da Europa para África será ainda mais significativa no final da pandemia”, já que “para os países africanos vai ser necessário sustentar e acelerar as exportações para garantir emprego, reservas em moeda externa e desenvolvimento socioeconómico em geral”.

A experiência da União Europeia, concluem, será um ponto importante para a União Africana, na medida em que pode servir “de modelo e enquanto apoio para a aplicação da integração regional por todo o continente”.

O Fórum Euro-África estava inicialmente previsto para o princípio de julho, mas foi adiado para hoje e sexta-feira, com o programa a incluir uma mensagem do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, e uma intervenção do antigo presidente da Comissão Europeia José Manuel Durão Barroso.

O encontro virtual, organizado pelo Conselho da Diáspora Portuguesa em parceria com a Câmara de Cascais, inclui uma conversa entre os Presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e do Gana, Nana Akufo-Addo, moderados pelo editor de África do Financial Times.

“O Fórum irá juntar numa plataforma digital os maiores protagonistas da mudança dos continentes africano e europeu, nomeadamente empresários, ativistas, líderes e decisores públicos e privados e todos aqueles que têm vindo a contribuir para a construção de um diálogo positivo entre os dois continentes”, referiu a organização.

O Fórum vai reunir personalidades dos setores público e privado, sociedade civil, empresários, ativistas e cientistas, que vão debater cinco desafios ao abrigo do tema “À procura de pontos comuns num mundo pós-covid”.

Os cinco painéis vão abordar as “Perspetivas sobre as relações entre a União Africana e a União Europeia”, a “Transição Justa da Matriz Energética”, “Made In Africa – Negócios Emergentes e em Aceleração”, “Cultura África a alimentar o Mundo”, e “Ligando os Desligados”.

O Conselho da Diáspora Portuguesa é uma organização privada sem fins lucrativos, com 95 membros em cinco continentes e tem por missão “alavancar o poder da diáspora, de forma a promover conversas e conexões globais sobre assuntos de cultura, impacto social, ciência, negócios e economia”.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

No Comment.

Artigos Relacionados

Eliandro Rocha

20,90 

PUB