PUB

Dj Xandy, do “Bengala” para o mundo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Os produtores são quem dá estrutura e vida a uma música e se pudéssemos dar um nome alternativo a DJ Xandy, provavelmente, seria Midas, porque tudo ou quase tudo em que toca torna-se num sucesso.

Etiene Agostinho, o seu nome de registo, é um jovem produtor angolano que transpira música e que, com apenas alguns anos de sucesso, tornou-se numa das maiores revelações da produção musical feita em Angola e por angolanos.

Com convicção fincadas e sem “papas na língua”, em conversa com a BANTUMEN gravada no Bar dos Colossos, na Vila Alice, em Luanda, o artista falou sobre a sua carreira, visões para o futuro, processo criativo e o sucesso da música colaborativa “Bengala”, com DJ Shyne.

Tudo começou em 2011 como deejay de festas privadas, como aniversários e ambientes de rua. “Entrei para o mundo das artes em 2008 e em 2010 decidi ser o próprio deejay da minha própria festa, e ganhei o gosto pelo djing“, explicou Xandy.

Com o passar do tempo e crescimento da sua popularidade, Xandy passou a criar projetos de cariz cultural para ajudar a promover artistas da nova geração a singrar.

A necessidade de evoluir, reinventar-se e expandir mais o seu nome fez com que o artista tomasse a decisão de começar a produzir instrumentais e em 2016 o produtor começou a dar os seus primeiros passos, produzindo funk brasileiro.

Um dos seus primeiros lançamentos com outros DJs populares foi “Bahati Drums”, de 2019, que é uma música colaborativa com Dj Kapiro Jr. e Dj Happiness. O tema tem bases sul-africanas e foi entrando “de fininho” em discotecas, casas e bares em Angola, abrindo-lhe assim portas para criar cada vez mais e melhor.

Ainda no mesmo ano, na companhia de Gilson Gera, DJ Xandy lançou “Mormão”, aquele que foi um dos maiores sucessos desta nova era que se vive no house angolano. Na posição de produtor do instrumental que toca até hoje, Xandy contou que não contava com o sucesso todo que a música alcançou, sendo que foi o afro-house mais tocado em 2019.

2020 foi um ano especial para o DJ, pois o artista criou e esteve envolvido em músicas que fizeram muito sucesso. Depois do lançamento de “Adoço das Mulatas”, em que colaborou com DJ Man Renas e os Wuawua, o produtor participou da música “Veneno”, do Dj Shyne.

Entretanto, Xandy e Shyne voltaram juntar-se e lançaram “Bengala”, uma das músicas mais populares na Internet, na altura, a nível internacional.

O sucesso da música deveu-se ao facto de Nesh, bailarino gabonês, ter criado OboulChallenge que conta com mais de 15 mil vídeos partilhados com o instrumental do artista angolano.

Xandy recordou a produção da música: “Naquela noite comecei a fazer o beat. A bateria toda enviei para o Shyne e ele colocou o saxofone, e daí foi”, disse Xandy. Entretanto, já foram lançados inúmeros remixes ao redor do mundo, inclusive nos Estados Unidos e Panamá.

Sobre estar num dos seus melhores momentos como artista, o artista afirma que financeiramente a música tem ajudado muito e que se sente motivado a trabalhar mais.

“A música tem-nos dado algum [dinheiro]. Já dá para continuar a trabalhar e sentir que estamos no caminho certo”, explicou Xandy.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

No Comment.

Artigos Relacionados

PUB