PUB
cesária Évora
Lusa

10 ‘colabs’ de sucesso entre artistas PALOP e de outras paragens do continente

A música de origem africana é atualmente uma das maiores potências da indústria musical global, veja-se o caso do afrobeats e a popularidade dos artistas nigerianos. De exemplo temos “Love Nwantiti”, de Ckay, que há 42 semanas consecutivas marca presença no top 50 do YouTube ou Rema com “Clam Down” que conquistou o mercado francês e que há algum tempo está no top do Spotify, ocupando atualmente a segunda posição.

Nessa leva de popularidade da música africana no geral, inserem-se também os artistas PALOP. Há muito que a Nigéria e a África do Sul bebe do que Angola ou Cabo Verde têm feito, seja através da kizomba e Cabo Love (oiçam este single de Diamond Platnumz) ou do kuduro (como bem podemos identificar em “Distruction Boyz“). Sobre as coreografias que vemos nos vídeos, e onde a influência angolana está claramente presente, vamos deixar para um outro artigo.

Apesar de nem sempre os créditos serem publicamente atribuídos aos seus justos pioneiros, a verdade é que este entrosamento acaba por originar também uma maior fluidez entre potenciais colaborações. É exatamente isso que vamos recordar aqui, dez músicas que uniram cabo-verdianos, angolanos, guineenses e são-tomenses a astros da música internacional também com sangue africano.

1 – Tellin Me Something – Nelson Freitas x Mr. Eazi

O cabo-verdiano Nelson Freitas aka Mr. Magig e o nigeriano Mr. Eazi lançaram “Tellin Me Something”, que faz parte do álbum D’pos D’Quarentena do artista de Cabo Verde. O clipe, gravado no Dubai, foi lançado também em 2021.

A música tem a produção de Felino Ramos, pela Pé Na Boca Produções; com a composição de Mr. Eazi e co-composição de Mr Magic. O clipe tem o conceito de Nelson e Giselle Freitas e foi dirigido por Rod Taumata, com uma produção de Blue Blood Music.

2 – Enty Hayati – Saad Lamjarred com Calema

Entre várias música dos Calema, provavelmente “Te Amo” é uma das mais especiais, por ter sido uma das que mais portas abriu para um público internacional, culminando por exemplo no remake “Enty Hayati”. A versão árabe é estrelada pelo popular Saad Lamjarred, de Marrocos. A música teve também direito a videoclipe com a dupla de São Tomé.

Em menos de um ano, a música já soma mais de 60 milhões de visualizações no YouTube e no Spotify conta com mais de 10 milhões de reproduções.

Além de Saad, “Te Amo” também conquistou a América latina. A dupla brasileira Simone & Simária e o colombiano Sebastián Yatrá gravaram a versão intitulada “No Llores Más”, cantada em português e espanhol, com uma forte influência do reggaeton e a música sertaneja do Brasil.

3 – Bang It All – Paul G com Akon

O angolano Paul G e o cantor norte-americano de origem senegalesa Akon lançaram “Bang It All” há 11 anos. O single integra o álbum Transition, de Paul G, que conta com 12 faixas e é cantado em inglês.

O clipe foi gravado entre Angola e África do Sul e tem a direção do moçambicano Dj Marcell. A música tem a produção da Magic Fingaz e com a colaboração da Wonder Boyz.

4 – Je Serai La – Marvin com Yasmine

“Je Serai La” é uma mistura de kizomba e zouk cantados pelo francês Marvin e pela guineense Yasmine, lançada em 2017. A música tem a composição de Badoxa e Marvin. O clipe tem a realização de Rod Taumata.

5 – Banger (Mamawe) – Preto Show com Davido

Rockstar ou Preto Show, uma das principais figuras da música contemporânea de Angola convidou Davido para fazer “Banger”. A música foi lançada em 2018 e o clipe foi gravado em Luanda.

6 – Yamore – Salif Keïta & Cesária Evora

“Yamore” é uma colaboração entre dois gigantes da música de raiz africana, o maliano Salif Keïta e a cabo-verdiana Cesária Évora.

Com 20 anos, a faixa faz parte do décimo álbum do cantor, intitulado Moffou, e é cantada em três línguas: o malinke, francês e o crioulo de Cabo Verde. “Yamore” tem a composição, letra e guitarra de Salif.

7 – Love Again – C4 Pedro com Sauti Sol

“Love Again” é mais um hit do king C4 Pedro. Na participação temos a popular banda queniana Sauti Soul. Cantada em português e swahili, a música tem a produção do cantor e produtor franco-congolês Kaysha, pela Sushiraw, e o mast e mix de Tiago Freitas pela Regie Estúdio.

8 – Be Mine – Djodje com Patoraking

“Be Mine” é do cabo-verdiano Djodje e conta com a voz do nigeriano Patoranking, uma das principais vozes da música nigeriana na atualidade. A música, lançada há quatro anos, tem a produção da Broda Music e o clipe é assinado por Djodje e Manel Casanova.

9 – Yaba Buluku – Dj Tarico com Burna Boy, Preck & Nelson Tivane (Remix)

“Yaba Buluku” é um dos hits do amapiano lançados no ano passado. A música de DJ Tarico teve a sua primeira versão lançada no final do ano 2020 e, em pouco tempo, conquistou mais de um milhão e meio de views. A música,desde a primeira versão, teve a presença das vozes de Preck e Nelson Tivane.

O remix do “Yaba Buluku” aterrou sete meses depois mas com a presença do “African Giant”, o nigeriano Burna Boy, que gravou o clipe com os três artistas moçambicanos.

A música foi produzida por Tarico e na ficha técnica temos os nomes de Nelson Tivane e Burna Boy na composição. O videoclipe da primeira versão do “Yaba Buluku” foi gravado por CR Boy e do remix por The Alien, pela The Alien Visuals.

10 – Quem Te Mandou – Lizha James com Uhuru

“Quem Te Mandou” é uma daquelas colaborações intemporais entre os vizinhos Moçambique e África do Sul. Para quem não sabe, o clipe é composto por duas músicas. Primeiro, “Can You Feel My Love” faz o cheirinho na abertura e depois o resto é complementado pela música principal, “Quem Te Mandou”.

A música de Lizha James foi lançada em 2013, produzida pelos Uhuru, o extinto grupo musical sul-africano, composto por Dj Clap, Mapiano, Xeli e Dj Maphorisa, que são responsáveis por alguns sucessos como “Khona” de Mafikizolo; “Y-tjukutja”, a versão de “Atchutchutcha” de Yuri da Cunha, e tantos outros.

O clipe de “Quem Te Mandou” é também uma assinatura de DJ Marcell.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB