PUB

O ‘novo’ D3GV$ quer espalhar a filosofia “Ubuntu”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Marcado pela mistura de vários tipos de instrumentais de rap e knowledge nas composições, o EP que abre o ano de D3GV$ (lê-se Degas) mostra uma nova fase mais madura do cantor e a assimilação da filosofia Ubuntu (eu sou porque nós somos), que dá título ao projeto.

Neste novo trabalho, o artista apresenta maior foco, força de vontade e prosperidade, na visão de jovem, pai, filho e artista.

Na minha companhia e de Eddie Pipocas, em entrevista para BANTUMEN, o rapper mostrou a sua real visão sobre o que pretende transmitir aos seus ouvintes, numa perspetiva além do egotrip, começando por explicar que o processo criativo e gravação do EP Ubuntu aconteceu “muito rápido” no verão de 2021.

“Vivi muita coisa no último espaço de tempo e isso fez-me reagir de forma diferente a muita coisa ou olhar de forma diferente para muita coisa, e isso dá uma perspectiva mais adulta”, disse D3GV$.

Sobre a escolha do título, o rapper contou-nos que a matriz do EP não se limita apenas na partilha musical ou da sua arte, estando na base a partilha da sua energia e ideologias. “Tiro de mim coisas que são reais, emoções e energias totalmente puras para dar às outras pessoas. Partilho isso com os meus ‘mais necessitados’, a minha informação e as minha vivências”, explicou.

Com uma clara noção de que não é o mesmo artista de há três anos, quando lançou D-Vision, o que escreve agora para as suas músicas sensibilizam para um senso de reflexão. “O D3GV$ que eu era no início da B-Unik não é o mesmo D3GV$ de hoje. Não se compara ao que sei hoje. Ganhei e perdi muita coisa, muita gente e ganhei e perdi muitos princípios, o que é uma das coisas mais difíceis de se admitir. Isso tudo é fruto de muitas experiências, de muita queda e muito game“, contou.

Ubuntu para se ouvir na sua totalidade são precisos exatos 22 minutos. Desde “Energies” até “Thugz”, ao longo das sete músicas, o artista mostra o seu rap com uma sonoridade africana bem assente e com um instrumental de afrobeat à mistura, tirando assim partido de um dos estilos mais consumidos atualmente no mundo inteiro.

Assiste à entrevista completa onde o artista conta tudo acerca da sua visão sobre o novo EP e sobre a nova voz – única participação do projeto -, Dânia Viegas.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

No Comment.

Artigos Relacionados

PUB