PUB

Elesse, um nome em ascensão na nova escola do rap angolano

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Elesse nasceu em agosto de 2000, em Luanda, e cresceu grande parte da sua infância no município da Maianga. Hoje, o rapper é rotulado como um  proeminente  talento em do hip-hop angolano. Aqui desvendamos quem é e o que tem feito Elesse.

O rapper explicou-nos que foi criado sem muitas dificuldades, mas com uma educação muito rígida. Entrou no mundo da música aos 13 anos, por influência da dupla “Mironh & AG”,  Délcio Dollar e L.F.S (membro dos TRX).

Gravou a primeira faixa em 2012 e “o hardware na altura era tão rústico” que apenas fez uso de um PC e auscultadores (no furinho, como era chamado na gíria). “Na minha primeira faixa retratei o meu estilo de vida, falei de tudo o que se passava. Foi praticamente um desabafo no beat”, disse.

Não era só a vontade de desabafar no microfone que encantava Elesse, o estilo de vida excêntrico e de ostentação do mundo do hip hop também o atraía.

Assim que começou a entender como funcionava o “submundo” do movimento, o rapper decidiu que queria integrar a Latino Records, de Yuri Latino.

As suas influências no rap feito em português passam sobretudo pelos seus conterrâneos Young Double, Délcio Dollar, Mendez, Lil Drizzy & Sérgio Figura, Mironh & AG, LFS, Mendez (Mobbers), Toy Toy T – Rex, D3GV$ (B-ÜNIK). Elesse explica que são rappers com “líricas muito fortes e barras pesadas”.

E a nível internacional listou Travis Scott, J’Cole e Migos, por causa da forma como se apresentam em palco e ao público, no geral.

Sobre a boa fase do movimento hip hop em Angola, o relembra que antes não haver rappers a vencerem o Top dos Mais Queridos – uma das premiações mais importantes em Angola dentro da música -, como foi o caso de Yannick Afroman, e falou também da grandeza e adesão ao Show Luanda Hip-Hop. “Já podemos dizer que o rap mangope está num bom caminho”.

Na mesma senda, confessou-nos que é fã de Uami Ndongadas, Lil Drizzy, Bo Ca, Phedilson Ananás e muitos outros que o têm feito “viajar, com duplos sentidos e trocadilhos.”

O objetivo da sua caminhada é “atingir altos patamares” e, sobretudo, viver da música porque é uma das coisas que mais ama fazer.



Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB