Procurar
Close this search box.

Sabores de sempre levam ao desenvolvimento de novo Compal da Terra. E a uma nova campanha

compal

Não há nada como os sabores de sempre, sendo que aqueles que permanem na nossa memória são os de casa. Foi mais ou menos a pensar nisso que a Compal Moçambique levou o ananás, o mel e o gengibre das machambas moçambicanas e criou um novo sabor. Com ele chegou, claro, uma nova campanha. Conversámos com Rui Ricardo Dias, Senior Brand Manager da marca.

A Compal tem apostado bastante no desenvolvimento de sabores nacionais. Existe alguma estratégica para envolver a produção nacional na cadeia de valor? Se sim, qual?

Um dos pilares estratégicos da marca Compal é a adaptabilidade ao mercado através da produção de sumos de fruta com sabores nacionais. O sucesso dos primeiros dois lançamentos de Compal Da Terra contribuiu inclusive para que fosse definida uma nova gama DA TERRA na arquitetura da marca Compal em Moçambique.

A produção nacional já acontece. Todos os sumos embalados no formato 1L, 0,5L e 0,2L comercializados pela marca Compal em Moçambique são produzidos localmente e temos esse orgulho presente nas nossas embalagens. Foi uma decisão de risco, assumimos e acertamos. Valorizar o que é nosso.

Rui Dias, Senior Brand Manager Sumol+Compal Moçambique

Foi graças ao primeiro Compal Da Terra com Malambe que conseguimos incorporar na produção local o Malambe, proveniente do Chimoio, directamente para Boane. Existem outras frutas que usamos nos nossos sumos que também são provenientes de Moçambique, mas que infelizmente seguem para África do Sul para processamento e voltamos a recebe-las em pó ou polpa, com todo o amor na nossa fábrica para produção dos sumos. A estratégia passa sim continuamos a conseguir introduzir na nossa produção mais frutal local, mas infelizmente os constrangimentos são muitos. É um desafio mas estamos no bom caminho.  

A nível de comunicação? Que directrizes é que foram importantes para desenvolver a nova campanha?

Para este novo sabor Da Terra, claramente a principal directriz foi manter a nossa estratégia de proximidade e intimidade com o consumidor moçambicano, através da nossa FRUTOLOGIA. E como?


Numa resposta da marca à procura de ingredientes que proporcionem bem-estar, com uma receita com awareness local. Na activação da Capulana – símbolo nacional – com as cores das frutas que estão na sua origem.

Desde o próprio sumo até aos brindes no ponto de venda, tudo trabalhado localmente com fornecedores locais, elementos naturais como o palha, a verga, algodão, entre outros.
Na escolha das frutas locais/receita local de gengibre e limão, combinada com as melhores frutas para atingir um sabor único e refrescante.

Rui Ricardo Dias, Senior Brand Manager da Sumol+Compal Moçambique

E a nível de next steps? Espera-se que o mercado tenha novos produtos ou novas acções da Compal?

Claramente. A inovação faz parte da estratégia da marca. Posso-vos dizer que neste momento, mais de metade das nossas vendas são por via dos lançamentos nestes últimos anos. Sabores pensados exclusivamente ao paladar do consumidor Moçambicano, não existentes noutras geografias, como o caso do Banana, Lichia, Multifrutos e gama Da Terra. A inovação continuará a ser um dos principais pilares da marca e mais não podemos relevar (até porque trabalhas numa agência que tem clientes nossos concorrentes), mas garantidamente que vamos continuar a ter muitas novidades surpreendentes nos próximos anos.

Vê abaixo a campanha

Relembramos-te que podes ouvir os nossos podcasts através da Apple Podcasts e Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis no nosso canal de YouTube.

Para sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN, envia-nos um email para [email protected].

Recomendações

Procurar
Close this search box.

OUTROS

Um espaço plural, onde experimentamos o  potencial da angolanidade.

Toda a actualidade sobre Comunicação, Publicidade, Empreendedorismo e o Impacto das marcas da Lusofonia.

MAIS POPULARES