Procurar
Close this search box.

“Summer Of Soul”, a cultura afro-americana nomeada aos Óscares

Summer of Soul | Ilustração de Ricardo Santos; Source photographs cortesia de Searchlight Pictures © 2021 20th Century Studios

O Festival Cultural do Harlem de 1969, em Nova Iorque, foi uma manifestação cultural afro-americana sem precedentes, com seis domingos seguidos de concertos gratuitos, discursos de vários líderes do movimento negro da altura e mais de 100 mil pessoas negras na plateia, vindas de várias cidades. Apesar da fraca, ou praticamente inexistente, cobertura noticiosa, devido à tensão política, racial e social da altura nos EUA, o festival foi gravado e praticamente 50 anos depois essas imagens deram vida ao documentário “Summer Of Soul”, selecionado agora para a próxima edição dos Ócares.

Numa iniciativa do cantor e entertainer Tony Lawrence, de 29 de junho a 24 de agosto de 1969, no Moint Morris Park (atual Marcus Garvey Park, em homenagem ao jornalista e ativista jamaicano e pan-africanista), milhares de pessoas puderam celebrar a sua negritude ao som dos então jovens Stevie Wonder, Nina Simone, Sly & the Family Stone, BB King, Gladys Knight & the Pips, entre vários outros.

Os Estados Unidos atravessavam um pico de tensões raciais (Luther King tinha sido assassinado um ano antes e, quatro meses depois, acontecia o bárbaro raid da polícia na sede dos Panteras Negras, que assassinou a sangue frio o líder Fred Hampton) e, exatamente no mesmo momento, acontecia a 160 quilómetros dali o Festival Woodstock, que numa coincidência irónica queria promover três dias de paz, amor e música e que acabou por captar todas as intenções da imprensa. Esse evento acabou por relegar o feito daquele que ficou conhecido como o Black Woodstock para a memória de que lá pôde estar.

Quase 50 anos depois, as filmagens do evento foram encontradas e recuperadas pelo artista, ator e jornalista musical Questlove.

O Festival Cultural do Harlem tem agora a merecida atenção, a nível global, através do documentário “Summer of soul (…Ou, quando a revolução não pode ser televisionada)”, exibido na Netflix, e com a sua seleção para os Óscares deste ano.

“Summer Of Soul” é constituído por uma narrativa que sai de entrevista atuais, com pessoas que viveram a experiência, juntando cortes de imagem e os concertos que já eram populares na altura.

O documentário também conta com os testemunhos de Gladys Knight, Jesse Jackson, Ethel Beatty, Chris Rock, Stevie Wonder, Musa Jackson e outros.

Em dezembro, “Summer of Soul” foi confirmado na lista de finalistas aos prémios Óscares de 2022, estando na categoria de Melhor Documentário, ao lado de The Velver Underground, Julia, President, Billie Eilish: The World’s Little Blurry e outros.

Relembramos-te que podes ouvir os nossos podcasts através da Apple Podcasts e Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis no nosso canal de YouTube.

Para sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN, envia-nos um email para [email protected].

Recomendações

Procurar
Close this search box.

OUTROS

Um espaço plural, onde experimentamos o  potencial da angolanidade.

Toda a actualidade sobre Comunicação, Publicidade, Empreendedorismo e o Impacto das marcas da Lusofonia.

MAIS POPULARES