PUB
Calema
Calema na mais antiga sala de espectáculos musicais de Paris, Olympia | 📷: Van der meulen Matthis

Calema: “Os 100 milhões não são só para nós, mas para toda a cultura lusófona”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Os Calema são uma dupla imbatível a nível números. A prova acontece através do YouTube, onde os jovens santomenses António e Fradique, com a música ”A Nossa Vez”, conseguiram bater um marco inédito na indústria da música em português deste lado do Atlântico: 100 milhões de visualizações. No total, nos seus vídeos e músicas publicados naquela plataforma, são mais de 600 milhões de reproduções.

Para os irmãos, todas as conquistas têm um sabor especial, cada uma delas representa uma meta atingida, um objetivo cumprido, ou uma barreira quebrada. Contudo, esta é diferente por bater um recorde que nenhum artista português ou dos PALOP ainda conseguiu. “É claro que atingir as 100 milhões de visualizações no YouTube com ‘A Nossa Vez’ uma música cantada em português, faz-nos sentir felizes, com o sentimento de objetivo cumprido. Este, claro. Pois muito mais há para concretizar. É um orgulho, é a primeira vez que uma música cantada em português, dentro dos países lusófonos, tirando o Brasil, conquista esses números. Uma coisa é certa: Somos os primeiros. Foi um objetivo que tínhamos delineado em conjunto com a nossa equipa. ‘A Nossa Vez’ saiu em 2017 e mostrou ser um sucesso que não pára de crescer. Esse é um dos nossos objetivos, levar além-fronteiras a música lusófona”, disse dupla à BANTUMEN.

Calema
Calema na mais antiga sala de espectáculos musicais de Paris, Olympia | 📷: Van der meulen Matthis

Recordando a história de António e Fradique, os artistas foram influenciados pelos pais, que cantavam muito em casa. Desde muito cedo que os irmãos faziam da música o seu despertar, cantavam em casa, na escola e sentiam que era isso que queriam fazer das suas vidas. O apoio da família e de todos os que os rodeavam foi importante para que acreditassem que era possível.

Fradique foi o primeiro a iniciar-se na música e António logo seguiu. Em 2011, conquistaram alguma popularidade com diversos covers das músicas de Anselmo. Entretanto mudaram-se para Portugal depois uma temporada em França. No país dos gauleses participaram no programa ”The Voice”, em 2013. Não conseguiram chegar ao pódio mas a participação ajudou a terem uma noção do que era cantar para um público grande e a moldar de alguma forma os primeiros passos como cantores profissionais.

Tudo é fruto do nosso trabalho, da nossa dedicação e persistência. Sabíamos e sentíamos que a música era o nosso caminho e sempre tivemos fé que isso ia acontecer. É um desafio diário, uma luta. Nunca podemos baixar os braços e, claro, [é preciso] acreditar que é possível. Não desistir nunca dos sonhos, isso é o mais importante. E aqui estamos a dar música para vocês todos”, disseram assertivamente os Calema, em entrevista exclusiva para a BANTUMEN.

Desde que estão em Portugal, a dupla juntou-se à família Klasszik, com quem têm lançado vários hits. Já contam com dois álbuns de originais: A Nossa Vez (A.N.V), lançado em 2017 e Amarelo, em 2020.

Neste momento, têm andado em tour pelo país e fora dele para apresentar o segundo álbum, que devido à pandemia as suas várias restrições, não pôde ser tocado ao vivo após o lançamento. A dupla começou o ano de 2022 com concertos nos Coliseus de Lisboa e Porto. ”Foi muito bom, ficámos impressionados com o número de pessoas que lá estavam. Depois os concertos que se seguiram sempre com recordes de público, é um caminho, um trajeto a percorrer, é o levar a nossa música, a nossa mensagem para todos. Mas esperem que ainda muito mais está para vir”, afirmaram.

Desde então, não têm parado. A agenda está cheia até ao final do ano.

Calema
Calema na mais antiga sala de espectáculos musicais de Paris, Olympia | 📷: Van der meulen Matthis

2022 tem sido um dos melhores anos para os Calema. Atingiram a sexta Platina com a música “Te Amo”, mais um sucesso de 2020 e que continua a conquistar o público. ”É uma música muito sentida, com uma letra muito forte e achamos que as pessoas percebem isso. São ainda mais de 52 milhões de visualizações no YouTube, temos outros sucessos como o ‘Vai’, que tem mais de 72 milhões, entre outras músicas que diariamente conquistam cada vez mais público”.

Além de todo o sucesso que os irmãos têm tido, em julho deste ano atingiram um milhão de ouvintes mensais no Spotify, tornando-se nos primeiros artistas PALOP a conseguir o feito naquela que é a maior plataforma de streaming do mundo.

E é por isso “os 100 milhões não são só para nós, mas para toda a cultura lusófona. Só temos de estar gratos, felizes e claro que isso só é possível graças a todas as pessoas que nos ouvem, que partilham as nossas músicas e que vão aos nossos concertos. Cada concerto é um recorde de público. Ainda agora estivemos na Lixa – cidade do concelho de Felgueiras, distrito do Porto, com cerca de nove mil habitantes – e estavam lá 30 mil pessoas a ouvir e a cantar as nossas músicas. Isso é fantástico e enche-nos o coração de verdade”.

Apesar do sucesso, a criação não pôde abrandar. Os Calema confirmaram ainda à BANTUMEN que estão neste momento a trabalhar num novo álbum, ainda sem data de lançamento mas que todas as previsões apontam para este ano.

Subscreve a nossa newsletter e fica a par de tudo em primeira mão!

PUB